Search for:
Obras em casa: o que deves saber antes de avançar

Na hora de fazer qualquer tipo de obra, é normal que surjam algumas dúvidas. Se é o teu caso, fica atento aos seguintes conselhos.

A realização de obras em casa ou no prédio pode parecer algo que te diz respeito apenas a ti ou aos restantes condóminos, mas em algumas situações poderás ter de fazer uma comunicação à Câmara Municipal ou, até mesmo, pedir uma licença.

Se precisas fazer obras de melhoramento no teu imóvel, aconselhamos-te a que leias atentamente este artigo. Poderá ajudar-te a esclarecer algumas dúvidas e ficar consciente de todas as obrigações legais.

Obras de melhoramento: atenção ao ruído

Vizinha perturbada com ruído de obras

Freepik

As obras de remodelação, recuperação ou conservação apenas podem ser realizadas nos dias úteis e a partir das 8 horas até às 20 horas. Embora este tipo de obras levadas a cabo no interior dos edifícios de habitação, comércio ou serviços não estejam sujeitos à emissão de licença especial de ruído, segundo o Regulamento Geral do Ruído, aconselhamos-te a que deixes afixado, num local acessível aos moradores do prédio, uma informação com a duração prevista das obras e o seu período horário.

O entulho causado implica licença de ocupação da via pública?

Outra situação muito importante com a qual deves ter cuidado é com o lixo produzido pelas obras. Nesse sentido, deverás contactar a Câmara Municipal para perceber se o entulho e a necessidade de colocar contentores ou depósitos de materiais, ou até mesmo andaimes ou tapumes, implica ter uma licença de ocupação da via pública. Aliás, a autarquia poderá mesmo indicar o destino que darás ao lixo resultante das obras.

Em que outras situações é exigida licença?

Fora a questão do entulho causado, que poderá ou não implicar uma licença da Câmara, há outras situações em que o mesmo pode ser exigido. Fica a saber agora quais:

  • Obras de alteração da fachada de um prédio
Obras na fachada de um prédio

Pixabay

Se o teu condomínio pretende fazer qualquer tipo de alteração à fachada do prédio, como aumentá-la, alterar o número de andares ou pintá-la, terá de ser feito um pedido de licenciamento à Câmara. Mas se apenas se tratar de um retoque na pintura, o mesmo já não é exigido e nem precisas de comunicar à autarquia.

  • Fechar uma varanda

Neste caso, para fechar uma varanda e fazer dela marquise, pode ou não ser exigida uma licença, dependendo do município onde vives. Poderás apenas ter de fazer uma comunicação à Câmara, mas para estares seguro de que não infringes a lei é melhor informares-te junto da autarquia.

De qualquer forma, se se tratar de um prédio em propriedade horizontal, a obra terá sempre de ser autorizada pelo condomínio por maioria de dois terços.

  • Reconstruir uma casa em ruínas

Se o imóvel ou prédio em questão estiver situado numa zona de proteção de imóveis classificados ou em vias de classificação, implica que solicites uma licença de obra.

Obras em casa: quais não precisam de licença?

Podes realizar uma série de trabalhos em casa ou no prédio nos quais não se exige licença. Em alguns casos, pode apenas implicar uma comunicação à Câmara e noutros nem isso ser exigido.

Obras no telhado

Pixabay

  • Obras no telhado

Se fizeres apenas pequenos trabalhos e não alterações de fundo ao telhado, não irás necessitar de pedir licenciamento, nem mesmo comunicar à Câmara as respetivas obras.

  • Deitar abaixo paredes interiores

Primeiro que tudo, se queres deitar abaixo alguma parede interior, terás de te certificar que essa obra não coloca em causa a estabilidade da fração ou do prédio e nem obriga a modificar a altura da casa ou dos pisos ou a forma dos telhados ou da fachada. Tendo isso garantido, não precisarás de informar o teu município.

  • Instalar painéis solares

Desde que a instalação dos painéis não ultrapasse a altura do prédio em um metro nem exceda a cobertura do edifício, não serás obrigado a pedir licença nem a comunicar à Câmara.

Instalação de painéis solares

Pexels

  • Construir uma piscina

Queres aproveitar os dias de maior calor para te refrescares numa piscina só tua? É, sem dúvida, uma excelente ideia e apostamos que a tua família e amigos vai achar o mesmo. E temos uma boa notícia para ti: não precisas solicitar licença à autarquia. Contudo, terás de fazer uma comunicação prévia à mesma.

Coimas por falta de licença: toma cuidado

Agora que estás ciente de todas as situações em que é necessário solicitares uma licença à Câmara, não facilites, pois, de acordo com a legislação portuguesa, as coimas em caso de infração podem variar entre os 500 euros e os 200 mil euros.

Fiscalização da obra: pode acontecer a qualquer momento

Nos casos em que é exigida uma licença da autarquia, os trabalhos poderão ser fiscalizados a qualquer momento sem aviso prévio, embora essa fiscalização seja limitada ao local da obra estipulada na licença.

Fiscalização de obra

Freepik

Há obras que implicam um contrato? Quais?

Segundo a lei portuguesa, se fizeres obras em que o orçamento exceda os 20 mil euros terás de elaborar um contrato onde conste a identificação das partes, assim como dos alvarás, dos trabalhos a realizar e dos materiais a serem usados, o valor total da obra, o prazo de execução e as penalizações em caso de atraso.

Retirado do Idealista – Adaptado por Dicas Imobiliárias

Ideias para pintar as paredes da cozinha e dar-lhe nova vida

Se quiseres rejuvenescer a cozinha, o primeiro passo é definitivamente renovar a cor das paredes: eis algumas dicas.

A escolha da cor para as paredes da cozinha é um elemento-chave para definir o estilo e a atmosfera de um dos espaços mais habitados da casa, ainda mais se quiseres reformá-lo completamente. Se procuras ideias para pintar paredes na cozinha, descobre as tendências mais interessantes que se adaptam a diferentes contextos: do mais clássico ao contemporâneo.

Como escolher a cor das paredes da cozinha?

A escolha da cor para as paredes da cozinha depende de vários fatores que vão muito além da preferência pessoal:

  • Para começar, considera o tamanho da divisão: tons claros podem tornar uma cozinha pequena mais arejada e espaçosa, enquanto cores mais escuras são ideais para divisões grandes – criarão um ambiente aconchegante e sofisticado.
  • Além disso, a luz natural desempenha um papel crucial. Cores quentes podem realçar uma cozinha com pouca luz, enquanto tons frescos combinam perfeitamente com espaços bem iluminados.
  • Outro aspeto a considerar é o estilo dos móveis e os materiais utilizados. Por exemplo, para ilhas ou topos com tampos de mármore ou granito, podes escolher cores que valorizem o grão. Para um visual moderno e minimalista, opte por tons neutros ou monocromáticos.
pintar a cozinha

Freepik

As cores mais populares para paredes: ideias e dicas

Quando se decide mudar a cor das paredes, tem que se pensar no futuro. Portanto, é necessário perguntar se o novo estilo resistirá ao teste do tempo. Para estar no lado seguro, é melhor confiar nas últimas tendências em estilo e cores.

  • Para a decoração clássica, cores neutras como cinza, bege e branco continuam a ser uma escolha segura, oferecendo uma base versátil para qualquer estilo de decoração, permitindo uma combinação fácil com elementos decorativos mais tarde.
  • Se quiseres acrescentar uma sensação mais moderna e vibrante à cozinha, considera usar tons como verde sálvia, azul marinho ou até mesmo coral. Essas cores não só adicionam caráter como também são capazes de influenciar o clima, tornando o espaço mais acolhedor e inspirador.
  • As cozinhas rústicas de alvenaria, por outro lado, prestam-se bem a cores quentes e terrosas, como o castanho ou o verde oliva, que lembram a natureza e criam uma atmosfera acolhedora e caseira.
  • Para cozinhas chiques, cores pastéis como rosa antigo, azul claro ou verde menta são ideais, dando um ar romântico e delicado.

De qualquer forma, o sucesso está no equilíbrio. Cores vivas podem ser equilibradas com acessórios e móveis em tons mais contidos, e vice-versa.

pintar a cozinha

Freepik

Cores vivas para a cozinha: aqui estão as principais

Cores claras e brilhantes não só amplificam a percepção do espaço, mas também ajudam a criar uma atmosfera serena e acolhedora. O branco, por exemplo, é um clássico atemporal que dá brilho e se adapta a diferentes estilos de mobiliário, do moderno ao rústico. Outros tons como creme ou bege oferecem um aconchego “sofisticado” e são facilmente combinados com outros elementos decorativos.

O efeito de cores pastéis como azul céu ou verde menta não deve ser subestimado, que além de refletir a luz, introduzem um toque de cor delicada e fresca. Para quem quer um ambiente mais animado, pode optar por tons de cor mais intensos, como um amarelo-limão ou laranja suave, que pode ser usado para pintar parte da parede ou para detalhes decorativos.

pintar a cozinha

Freepik

Retirado do Idealista – Adaptado por Dicas Imobiliárias

O que fazer no Dia dos Namorados sem sair de casa

Pensas pedir a tua cara metade em casamento em casa? Ou preparar um pequeno almoço na cama? Conhece os programas mais românticos.

Celebrar o Dia dos Namorados em casa pode ser uma experiência mais íntima e romântica do que, por exemplo, escolher um restaurante para o dia dos namorados. E para tornar esta experiência inesquecível, basta colocares as mãos à obra com antecedência e preparar o dia perfeito. Não precisa de ser uma noite repleta de presentes, o importante é conheceres o teu par romântico e mostrar-lhe como a vossa relação já evoluiu tanto nos últimos tempos. 

Tira notas porque aqui estão as melhores ideias para passar um Dia dos Namorados em casa, numa celebração do carinho partilhado entre o casal e até a sua família. 

Pequeno-almoço na cama: como não gostar?

pequeno almoço na cama

Unsplash

L’amour… Poderás começar a surpreender no dia dos namorados logo de manhã com um pequeno almoço na cama ao mais puro estilo parisiense. Com croissants frescos e amanteigados, acompanhados por compotas caseiras preparadas pela sogra ou pela vizinha, terás uma experiência mais autentica logo pela manhã. 

Poderás completar este pequeno almoço romântico na cama com uma chávena de chocolate quente, chá de maca e canela (com efeito rejuvenescedor!) ou um delicioso cappuccino. Sumo de laranja e fruta fresca são também boa companhia para as primeiras horas deste dia. Não te esqueças de ter em conta aquele elemento preferido da tua cara metade e coloca-o no tabuleiro. 

Filmes para o dia dos namorados ou séries

ver séries na cama

Pexels

Bridgerton, a série apaixonante com Jonathan Bailey e Regé-Jean Page continua a ser uma das propostas mais românticas de sempre na Netflix. Por esse motivo, o Dia de São Valentim torna-se a ocasião perfeita para te envolveres na magia das suas temporadas. Se procuras vivenciar uma narrativa romântica em Itália sem sair de casa, “From Scratch” com Zoe Saldaña é a escolha indicada. 

Para os casais que não estão particularmente inclinados para o romance no pequeno ecrã, sugerimos explorar as novidades disponíveis em plataformas de streaming. Séries como “Mestres do Ar”, da Apple TV+, ou “Griselda”, da Netflix, oferecem temas envolventes e inspirados em histórias verídicas. 

Se não a tua cara metade não é amante de séries, podes explorar as ofertas de filmes para o Dia dos Namorados que costumam até encher os ecrãs dos canais abertos disponíveis na tua operadora.

Jantar para o Dia dos Namorados: romance e luz de velas

És daqueles que gosta de preparar o prato preferido da tua cara metade? O Dia de São Valentim é a data certa para confecioná-lo com a máxima dedicação. Será certamente um jantar romântico à luz das velas digno de uma revista.

jantar com velas

Unsplash

Para dares um toque nacional ao teu Dia dos Namorados, talvez seja interessante confecionar pratos tipicamente portugueses. Um clássico bacalhau à Brás envolvo em batata palha, cebola e ovos mexidos dá um toque acolhedor a este momento. 

Jogos de tabuleiro com os casais amigos 

Para aqueles casais que não se conseguem livrar dos amigos no Dia dos Namorados, talvez seja interessante passar o serão na companhia de um jogo de tabuleiro. Promete ser uma noite mais descontraída, que incentiva à colaboração e à partilha com as pessoas que te fazem rir ao longo do ano. 

Jogos como “Uno”, “Cluedo” e “Catan” são excelentes opções para criar memórias entre casais, com alguns destes jogos a serem partilhados até com as crianças. 

Spa e sessão de massagens em casa 

massagem

Unsplash

Para os momentos mais relaxantes poderás fazer uma surpresa do Dia dos Namorados e transformar a tua casa numa fonte de bem-estar. Atreve-te a criar um spa, com velas aromáticas, óleos essenciais 100% naturais e desfruta de uma massagem com música relaxante. Este é um momento de silêncio, que pode servir como recuperação para uma mágoa antiga na vossa relação. 

Para os casais com crianças, poderão preparar um spa em família, deixando os mais pequenos fazerem as massagens aos pais que tanto os entendem e estão sempre prontos para a brincadeira. Este é exercício perfeito para descansar. 

Meditação a dois no jardim 

meditação no jardim

Pexels

A sintonização da vida a dois com a natureza é um momento intenso nesta lista de programas para o Dia de São Valentim, que poderá fortalecer as vossas emoções. Sugerimos, por isso, uma meditação a dois no jardim, rodeado das plantas e flores com maior energia e que farão do lar um espaço de serenidade. 

Convida o teu cão a participar neste momento de encontro, para que também ele consiga encontrar o equilíbrio e possa acolher uma nova dinâmica da vida dos donos que está prestes a começar (Olá! Bebé a caminho?). 

Prova de queijos e vinhos na varanda 

vista para Castelo de São Jorge

Unsplash

Quem não tem jardim, poderá passar o Dia dos Namorados com a vista proporcionada pela sua varanda, mesmo que tenha os olhares atentos dos vizinhos. Numa pequena mesa e duas cadeiras convencionais poderás criar uma experiência gastronómica especial, com uma prova de queijos e vinhos regionais. 

Seleciona os teus queijos preferidos e acompanha-os com algumas uvas ou frutos silvestres. Caso a noite seja de alguma chuva ou esteja mais fresca, poderás preparar a prova de queijos e vinhos junto à lareira com mantas e cobertores acompanhados de palavras que evidenciem aquilo que sentem um pelo outro.  

Mensagens do Dia dos Namorados a decorar presentes

presentes para o Dia dos Namorados

Unsplash

Deixa que o último minuto do Dia de São Valentim seja dedicado à troca de presentes. Podes oferecer aquilo que a tua cara metade mais aprecia, desde uma caixa de bombons, um CD do seu artista preferido, uma peça de roupa para estrear em breve ou até mesmo um anel de noivado.

É provavelmente o programa do Dia dos Namorados mais procurado e pode ser feito em casa apenas com um ambiente certo. Poderás, por exemplo, editar um vídeo curto no telemóvel que conte a vossa história de amor e projetá-lo depois na parede, com algumas luzes em redor do ecrã. 

Convém, portanto, não se esquecer de decorar a casa para o Dia de São Valentim com muito amor e corações para que o programa desta festividade seja ainda mais mágico. 

Ideias para decorar corredores estreitos (e o que evitar)

Eles são muito comuns em casas antigas, mas há sempre forma de dar a volta e incorporá-los na decoração.

São um dos “males” das casas mais antigas. Felizmente, em construções novas, normalmente não há muitos corredores, apesar de servirem para comunicar alguns espaços com outros. A melhor solução para estes espaços da casa é integrá-los em outros, como a cozinha, sala ou quartos. 

Isso pode não ser uma solução para quem vive em casas arrendadas, por exemplo, e não pode modificar as estruturas. Ou então porque simplesmente a pessoa não quer fazer obras – que geralmente podem ser uma dor de cabeça.

corredor

Foto de Max Rahubovskiy no Pexels

É por isso que hoje vamos deixar-te algumas ideias chave de como decorar um corredor estreito e escuro para dar-lhe um bom ‘facelift’.

  • Se for um corredor longo e estreito e com tetos altos, podes aproveitar o espaço em cima  para colocar candeeiros apelativos. 
  • Se o espaço for escuro, podes brincar com a iluminação do chão, de uma parede ou iluminando uma linha de teto. Sempre que possível, a luz natural é melhor e isso pode ser conseguido, por exemplo, colocando grades que dão para os divisões com luz, retirando uma porta de madeira e colocando-a envidraçada, por exemplo, ou um painel ripado. Outra possibilidade é abrir uma janela alta e horizontal o mais próximo possível da entrada de luz.
corredor

Foto de Max Rahubovskiy no Pexels

  • Uma boa maneira de expandir o espaço é eliminar as portas de passagem, assim fará com que essa área pareça maior. Quanto às cores, o melhor se o espaço não tiver luz natural é o branco, que dá sempre amplitude.
  • Colocar tapetes: é um dos recursos mais utilizados, pois geram aconchego e elegância naquele espaço de passagem. 
  • É aconselhável colocar muitos quadros e decorações nas paredes? Em qualquer filme de Woody Allen, verás um corredor de apartamentos em Nova Iorque carregado de fotos. É recomendado? Se o corredor for realmente estreito, pode não ser o mais aconselhável, pois sobrecarregarás aquele espaço limitado e também não terás perspectiva suficiente para contemplar as fotos ou pinturas. 

Retirado do Idealista – Adaptado por Dicas Imobiliárias

Polir chão de madeira: truques para o deixar a brilhar

O chão de madeira é dos mais elegantes e apesar de dar algum trabalho a ser mantido, temos as dicas para o polires de forma fácil.

Uma casa com chão de madeira é uma opção que nunca sai de moda e que é popular a nível mundial desde há muito tempo. E apesar de ser mais complicado no que toca à sua limpeza, temos truques para polires o teu chão de madeira e deixá-lo a brilhar.

As vantagens de ter um chão de madeira

Um piso de madeira pode obrigar a mais manutenção, é verdade, mas vale a pena por todas as suas vantagens e benefícios. Antes de falarmos sobre as formas de o polir, relembramos como o facto de escolheres ter chão de madeira te vai trazer mais bem-estar em casa, uma sensação de conforto deliciosa e um ambiente aconchegante e cómodo. Aqui estão as vantagens de teres pisos em madeira:

  • Estética e elegância

Os pisos de madeira adicionam uma beleza natural e atemporal aos ambientes. A componente estática é inegável, com uma aparência clássica e elegante que pode complementar uma variedade de estilos de decoração, com padrões diferentes e irregulares que resultam sempre numa harmonia especial. E como é um produto natural, as suas nuances e tonalidades variam e são sempre únicas, que trazem variedade e autenticidade à casa.

  • Conforto

É bem sabido que um chão de madeira é muito mais aconchegante do que um chão de pedra ou de azulejo. O ambiente é mais confortável porque a madeira tem um excelente desempenho térmico, o que faz com que as divisões não sejam nem muito quentes, nem muito frias. Para além disso, é a opção ideal para andares descalço em casa independentemente da época do ano.

chão de madeira

Pixabay

  • Durabilidade

O tempo de vida dos pisos de madeira é longo. Se forem bem mantidos, podem durar por décadas sem ser necessário serem trocados. Têm também a vantagem de poderem ser restaurados e revitalizados ao longo do tempo, o que lhes traz uma vida útil ainda mais longa.

  • Propriedades acústicas

Já reparaste que os auditórios e teatros têm geralmente o chão de madeira? Pois é, a acústica deste chão é do melhor que há: os sons não rebatem tanto na superfície e o efeito de eco nos ambientes é reduzido, tornando o som mais agradável aos ouvidos. 

  • Valorização do imóvel

As casas que têm pisos de madeira são muitas vezes revendidas com um valor mais alto visto este ponto ser considerado um elemento de qualidade e requinte.

  • Variedade de opções

Há uma panóplia de pisos de madeira que podes escolher, com diversos tipos de madeira, com vários acabamentos e inúmeros padrões disponíveis, o que aumenta a probabilidade de encontrares algo ao teu gosto e estilo da tua casa.

chão de madeira

Pexels

  • Ambiente saudável

Ao contrário dos tapetes, o chão de madeira não acumula ácaros, pós ou odores nem elementos que possam provocar alergias. São uma opção mais saudável e higiénica e que ajudam principalmente pessoas que têm tendência para alergias ou asma.

  • Facilidade de limpeza

Em comparação com chão forrados com tapetes, os pisos de madeira são muito mais fáceis de limpar e manter a higiene durante um maior período de tempo. Podes facilmente aspirar o pó e a sujidade ou removê-los com uma vassoura ou com um pano húmido sem precisares de muito tempo para tal limpeza.

  • Versatilidade térmica

Seja verão ou seja inverno, a temperatura ambiente num piso de madeira mantêm-se muito mais facilmente do que noutros tipos de piso. A madeira tem propriedades isolantes naturais, o que contribui para um ambiente mais confortável, tanto em dias de calor ou de frio.

chão de madeira

Pixabay

Claro que nem tudo é um mar de rosas, e obviamente que o chão de madeira também requer um certo cuidado e proteção para que se mantenha bonito por muito tempo. Limpeza regular, proteção contra riscos e humidade são alguns cuidados que deves ter para proteger o teu chão de madeira. 

Polir chão de madeira

Quando chega a hora de limpar o chão de madeira, levas as mãos à cabeça e pensas na forma de conseguires sair vitorioso dessa tarefa. Temos a solução simples e nada alarmante: basta teres um aspirador ou vassoura, um produto para polir a madeira (vernizes ou ceras), uma esponja, panos, água e força de vontade.

Ao polires o chão de madeira vais ter um piso com um novo brilho como se fosse novo. Segue as nossas etapas e comprova como é fácil.

Lista de materiais necessários para polires o chão de madeira:
1. Aspirador ou vassoura
2. Pano húmido ou esfregona
3. Produto de limpeza para madeira
4. Cera ou verniz para madeira
5. Esponja ou aplicador de cera
6. Pano seco e limpo

Chão de madeira a brilhar: passo a passo

Antes de polir o chão é importante que tenhas em atenção este passo a passo e que escolhas os produtos mais adequados para evitar possíveis danos que podem surgir.

Liberta o espaço onde vais polir o chão

Antes de começares com as limpezas, o primeiro passo é preparares o terreno e retirares todos os móveis e objetos de decoração da divisão para que não se suje mais do que o necessário.

chão de madeira

Pexels

Limpa muito bem o chão

Aspira ou varre o chão para remover todo o pó, sujidade e detritos soltos. Depois de aspirado, usa um pano húmido ou esfregona apenas com água para remover a sujidade mais persistente, tendo atenção aos pormenores.

Deixa o chão secar

Antes de seguires para o próximo passo, deixa o chão secar completamente para que a cera ou o verniz não se misturem com restos de água.

Aplica a cera ou o verniz por toda a superfície

Com a superfície seca e completamente limpa, está na hora de aplicar a cera ou o verniz que escolheste, preferencialmente de boa qualidade para a madeira. Aplica o produto escolhido no chão de forma uniforme usando uma esponja ou aplicador de cera e segue as instruções do produto quanto ao tempo de secagem.
Se escolheres usar verniz, podes decidir entre dois tipos:

1) Verniz à base de água – não tem qualquer tipo de odor e possui uma ação de secagem rápida, o que permite dar várias camadas no mesmo dia.

2) Verniz à base de poliuretano – tem um odor fraco, é de fácil utilização e mais resistente ao uso a longo prazo.

chão de madeira

Pexels


Fase do polimento

Use um pano seco e limpo para polir o chão; faz movimentos circulares para obter melhores resultados e sempre no sentido da madeira. O polimento ajuda a dar brilho à superfície e a remover quaisquer resíduos excessivos da cera ou do verniz que usaste anteriormente.

Opções naturais para polir o chão

É sempre uma boa opção escolher formas de limpar mais orgânicas e naturais – e muitas delas podes fazer em casa e não precisas de comprar. Podes limpar todo o tipo de coisas, inclusive polir o chão de madeira. Oferecemos-te algumas opções com produtos naturais e amigos do ambiente:

Vinagre e água
Mistura partes iguais de vinagre branco e água morna e limpa o chão com um pano húmido ou uma esponja. O vinagre ajuda a remover a sujidade e a restaurar o brilho natural da madeira.

Azeite e limão
Misture uma chávena de azeite com o sumo de meio limão. Aplica esta mistura mágica numa esponja ou pano ligeiramente húmido, esfrega o chão e comprova os resultados, agora com mais brilho e hidratação da madeira.

limão

Pexels

Chá preto
Faz chá preto concentrado e deixa arrefecer. Usa um pano ou esponja, demolha no chá e limpa o chão com cuidado. A sua acidez ajuda a remover a sujidade e a realçar o brilho.

Bicarbonato de sódio e água
Faz uma poção mágica com bicarbonato de sódio e água. Aplica-a nas manchas ou áreas desgastadas do piso e esfregue suavemente e com cuidado. Posteriormente, limpa a área que esfregaste com um pano húmido em apenas água e voilá! Um chão limpo sem produtos químicos.

Óleo de coco e vinagre de maçã
Em partes iguais, mistura óleo de coco e vinagre de maçã. Aplica a mistura no chão com um pano limpo e macio e espera os resultados, um chão mais hidratado, macio e limpo.

chão de madeira

Pexels

Lembra-te de testares qualquer solução que escolheres usar numa pequena área do chão (preferencialmente numa zona discreta, caso não resulte) antes de a aplicares em toda a superfície do piso, de forma a teres 100% certeza de que vai funcionar e não vai causar qualquer tipo de danos. 

Para além disso, tem atenção à quantidade de água usada e evita o seu uso excessivo, visto que pode danificar a madeira. Seca sempre muito bem o chão após a limpeza com a solução natural e delicia-te com um chão de madeira como novo!

Entre o Japão e a Escandinávia: os segredos do estilo Japandi

Se procuras um estilo harmonioso em experimenta o estilo Japandi, nascido de uma feliz união de duas culturas muito diferentes.

estilo Japandi representa uma síntese estética que combina a simplicidade e naturalidade típicas da cultura japonesa com a funcionalidade e o conforto que caracterizam o design escandinavo e nórdico em geral. Mobilar a casa neste estilo significa focar na essencialidade das formas e na sensação de acolhimento e aconchego. O objetivo, portanto, é promover um ambiente de convivência que convida à tranquilidade e à recuperação do bem-estar pessoal. Tudo o que tens de fazer é descobrir as principais características deste estilo e como replicá-lo em casa.

Quais são as características dos móveis Japandi?

Imaginando uma mistura entre a simplicidade japonesa e o minimalismo escandinavo, é possível enumerar as principais características desse estilo:

  • Uma paleta de cores neutras, que vai dos tons terrosos aos cinzas mais delicados, para evocar uma sensação de calma e recolhimento.
  • A escolha dos materiais é igualmente essencial: a madeira natural, o linho e a cerâmica estão frequentemente presentes, contribuindo para uma sensação de ligação com o ambiente circundante.
  • Outro aspeto fundamental do mobiliário Japandi é o foco na qualidade e não na quantidade. Cada móvel é cuidadosamente selecionado, priorizando a funcionalidade e a durabilidade.
  • A iluminação, tanto natural como artificial, desempenha um papel crucial, com o objetivo de criar ambientes suaves e relaxantes que valorizem cada espaço da casa.
estilo Japandi

Unsplash

Estilo Japandi na sala de estar: as melhores ideias

A sala de estar é uma divisão fundamental na casa. Aqui, além de receber convidados, podes relaxar ao final de cada dia.

Começa por selecionar móveis com linhas simples e limpas, privilegiando materiais naturais como a madeira clara típica do design escandinavo, combinada com detalhes em bambu ou cerâmica, que lembram a estética japonesa. É essencial manter o ambiente limpo e arrumado, evitando o acumular de papéis, objetos ou elementos perturbadores.

Para cortinas e estofados, escolhe cores e texturas neutras, como linho ou algodão cru. Esses materiais também são agradáveis ao toque, amplificando a sensação de relaxamento. Em seguida, adiciona plantas verdes e elementos naturais, como vasos de terracota ou cestos de tecidos, para trazer o equilíbrio da natureza para dentro. Para iluminação: candeeiros de cabeceira e luminárias de chão são ideais.

estilo Japandi

Unsplash

Japandi para o quarto: dicas para dormir melhor

estilo Japandi é perfeito para o ambiente mais privado da casa. Camas baixas com molduras de madeira natural, mesas de cabeceira básicas e iluminação suave são apenas alguns exemplos de como podes criar um ambiente que promova o sono. Adiciona tecidos macios como linho ou algodão para roupas de cama, tapetes quentes para andar descalço.

Para as cores, por outro lado, também é possível focar, compreensivelmente, numa mais escura: considere, por exemplo, azul meia-noite, cinza escuro, preto ou verde profundo. Se não quiseres pintar as paredes, também podes considerar um papel de parede, desde que simples ou um padrão mínimo.

estilo Japandi

Unsplash

Aquecedor de toalhas: a nova tendência de casa de banho em 2024

Já ouviste falar em toalheiros elétricos? Fica a conhecer as vantagens deste equipamento que te deixa as toalhas quentinhas.

Nestes dias frios de inverno, quando tanto te custa sair debaixo da água quentinha do chuveiro, o que mais te apetece ao saíres do poliban ou banheira? Vamos apostar: uma das coisas será, certamente, teres uma tolha quente à tua espera.

Acertámos? Se sim, fica atento/a à nova tendência deste ano. Falamos, nada mais nada menos que, nos aquecedores de toalhas. Mas de que se trata? Ora bem, tal como o nome indica, é um equipamento elétrico que é instalado na casa de banho e que seca e aquece toalhas.

Depois de saberes isto, certamente nasceu em ti uma enorme vontade de comprar um. Mas é normal que te surjam dúvidas sobre o preço, o modo de instalação, se é perigoso, se realmente compensa comprar, entre outras questões. Atenta, então, no que temos a te dizer.

Toalheiro elétrico: quais são as vantagens?

Toalha quente após ter estado no aquecedor de toalhas

Freepik

Para além do que já referimos acima, secar e aquecer as toalhas, estes toalheiros térmicos têm outros benefícios como:

  • Evita o mau cheiro.
  • Evita fungos, ácaros e bactérias.
  • Rápida secagem.
  • Desumidifica o ambiente.
  • Aquece o ambiente, deixando-o mais confortável.

Secador de toalhas: quanto tempo demora?

A resposta a esta pergunta vai depender de alguns fatores como o tamanho do aquecedor, a temperatura ambiente e a humidade do ar. Mas, em média, o período normal de secagem de uma toalha é de 4 horas.

Aquecedor de toalhas: que modelos existem?

Mulher com toalheiro elétrico na casa de banho

Freepik

Podes escolher o tipo de aquecedor de toalhas consoante as tuas necessidades e gosto próprio. Os mais comuns são os de parede, contudo, há também os de piso. Além disso, podes também escolher o tamanho, para que leve mais ou menos toalhas de uma vez, conforme o que precisas.

Podes também escolher a cor, o tipo de material, a potência e, ainda, se queres ou não programação integrada. Essa programação pode ser diária, semanal ou pré-programado.

Como fazer a instalação do toalheiro elétrico?

Instalar um aquecedor de toalhas não é difícil. Precisas apenas de ter uma tomada perto da zona de instalação e, caso optes pelo modelo de parede, que é o mais comum, basta que fures a parede e prendas o toalheiro com os parafusos que o acompanham.

O ideal é que fique instalado a, pelo menos, 60 centímetros (cm) do chão, para ser mais cómodo pendurar as toalhas e também para a segurança de crianças e animais.

Medições para instalação de aquecedor

Freepik

Preços dos aquecimento de toalhas

Os preços vão variar de acordo com o modelo, o material, o tamanho, mas também com a cor escolhida. Mas atualmente podes comprar facilmente um aquecedor de toalhas sem grande esforço financeiro, embora o intervalo de preços seja bastante grande, pois pode ir dos 70 euros aos 800 euros.

Aquecedor de toalhas: quanto vai afetar a conta da luz

Não te preocupes, o gasto de um toalheiro elétrico não é significativo. Aliás, se o deixasses ligado todo o dia o consumo de eletricidade seria como o de uma lâmpada comum.

Secador de toalhas: existe algum perigo associado?

Visto que estes aquecedores de toalhas têm uma resistência blindada, não há qualquer perigo a nível de choques ou superaquecimento.

A temperatura normal fica entre os 40ºC e os 45ºC, por isso, também não haverá risco de queimaduras. O que não te aconselhamos é que temas cuidado para que o toalheiro não entre em contacto com água.

Aquecedor de toalhas

Freepik

Aquecedor de toalhas: limpeza e manutenção

A limpeza é muito simples, basta que passes um pano húmido. Tem apenas cuidado para não passares nada químico nem abrasivo.

Quanto à manutenção, é apenas necessário que te vás certificando de que o seu funcionamento está a ser o correto. Além disso, apenas te aconselhamos a substituíres o fio de alimentação se verificares que ele está danificado.

Se ocorrerem outros problemas, contacta a loja que te vendeu o aquecedor de toalhas ou procura mesmo o contacto do fabricante.

Retirado do Idealista – Adaptado por Dicas Imobiliárias

Jardinar no inverno: eis o que podes cultivar em janeiro

Mesmo durante o inverno, existem algumas espécies que são adequadas para crescer no frio.

O mês de janeiro oferece uma oportunidade única para começar a cultivar algumas espécies na varanda ou legumes na horta. Existem muitas famílias de plantas resistentes ao frio que são capazes de florescer antes mesmo da chegada da primavera. Se quiseres tentar a mão no cultivo, eis o que plantar em janeiro.

Ideias para a horta: o que podes cultivar em janeiro

A seleção de plantas para a horta que podem ser semeadas em janeiro é surpreendentemente variada. Hortaliças como alhocebola e algumas variedades de salada também podem ser plantadas em temperaturas mais baixas, desde que o solo esteja bem drenado e não congelado.

Não menos importantes são as ervas aromáticas, que podem ser cultivadas em pequenos vasos dentro de casa ou em locais abrigados do lado de fora. Ervas como salsacoentros e sálvia são ideais para embelezar a horta e aromatizar pratos.

Por fim, para quem se preocupa com a biodiversidade e insetos polinizadores, nunca é cedo para pensar em plantas poliníferas. Desde que o clima não esteja muito frio, significa preparar-se para oferecer alimento às abelhas assim que as temperaturas se tornarem mais amenas.

cosa coltivare a gennaio

Freepik

Flores de inverno: quais sementes plantar em janeiro

Apesar das baixas temperaturas, algumas sementes podem ser plantadas com sucesso, garantindo floração precoce. Para quem quer ter uma varanda ou terraço colorido, o ideal seria amores-perfeitos ou prímulas, que darão vivacidade ao jardim com os seus tons brilhantes.

Não menos importante é a escolha de outras espécies bonitas, como o rododendro ou a Camélia Japonica. Janeiro também é o mês para ver os primeiros resultados do cultivo de dezembro, como as primeiras flores de Helleborus. Lembra-te, a qualidade do solo e a proteção contra geadas noturnas são aspetos cruciais para garantir um crescimento saudável e robusto para as plantas.

piante da esterno resistenti al freddo

Freepik

Como proteger as plantas do frio?

Com a chegada das baixas temperaturas, proteger as plantas do frio torna-se uma prioridade para todo aspirante a jardineiro. Existem várias estratégias e truques que podem ajudar-te a proteger a saúde dos cultivos durante os meses mais frios:

  • Primeiro, é essencial selecionar espécies que sejam resistentes à geada e adequadas ao clima da sua região.
  • Além disso, o uso de revestimentos protetores pode oferecer isolamento eficaz contra geadas noturnas.
  • Para as plantas que já estão cultivadas, a cobertura morta é uma ótima maneira de manter a temperatura do solo e proteger as raízes. Materiais como palha, folhas secas ou casca triturada podem ser usados para esse fim.
  • Para plantas em vasos, movê-las para um local abrigado ou envolvê-las em materiais isolantes pode fazer toda a diferença.

Deves sempre prestar atenção ao estado do solo e ajustar a irrigação de acordo. Algumas plantas precisam ser regadas o mínimo possível, por isso – com certas espécies – é essencial verificar a absorção correta de água antes de voltar a regá-las. Por fim, não te esqueçaa de observar a saúde das plantas: folhas amareladas, danificadas ou murchas podem ser um indício de alguns problemas no cultivo.

cosa coltivare a gennaio

Pexels

Retirado do Idealista – Adaptado por Dicas Imobiliarias

Como escolher o melhor sofá para a tua casa?

Um bom sofá faz a sala e as nossas costas agradecem, por isso oferecemos-te um guia para comprares o sofá perfeito.

Todos gostamos de um bom sofá, seja de que tipo for. Um bom sofá para descansar as costas depois de um dia inteiro sentados à secretária. Uma chaise longue para esticar as pernas depois de andar de um lado para o outro. Um sofá em L para dormir uma sesta num domingo à tarde. Um bom sofá é algo essencial e que tem de ser escolhido a dedo para que o conforto reine em casa. 

Antes de decidires que tipo de sofá comprar, é conveniente conheceres os tipos de sofás que existem e qual é o que melhor se encaixa na tua sala ou no quarto das visitas.

Sofás para todos os gostos 

Existem sofás para todos os gostos, cada um projetado e criado para agradar a todos os fregueses. Variam consoante as diferentes necessidades de espaço, estilo e conforto. Aqui estão alguns dos tipos de sofás mais comuns:

Sofá de 2 lugares: para espaços compactos

Sofá de 2 lugares

Freepik

Este tipo de sofá é ideal para salas pequenas ou como complemento em salas maiores. Podes optar por este modelo caso não precises de muito espaço para sentar e tenhas pouco espaço disponível na sala e caso precises podes sempre complementar com uma poltrona ou alguns pufes maleáveis de fácil arrumação. 

Sofá de 3 lugares: espaço para sentar e relaxar

É o mais comum dos sofás para salas de maior dimensão e oferece espaço para quase toda a família. Podes optar por lugares mais largos ou mais estreitos consoante a utilização que lhe queiras dar. Muitos deste modelos de sofás retos têm opção de se tornar numa cama para as visitas. 

Sofá-cama: o ideal para receber visitas

Sofá de 3 lugares

Freepik

Perfeito para receber visitas. Funciona como um sofá durante o dia e como uma confortável cama durante a noite, oferecendo a solução para quem não tem quarto de hóspedes, ou para quem tem tendência para adormecer a ver filmes no sofá. Lembra-te que é fundamental para que possas usufruir deste modelo na totalidade de teres espaço suficiente para abrir o sofá-cama completamente. 

Sofá modular: cria um sofá ao teu gosto

É construído como se fosse um lego, composto por partes independentes que podem ser ajustadas para se adequar ao teu espaço disponível e ao teu gosto. Esta é uma boa opção para quem procura um sofá para a vida toda e tanto dá para casas mais pequenas como é fácil aumentá-lo caso te mudes para uma casa maior. 

Chaise longue: o sofá perfeito para quem gosta de se esticar

Um sofá com extra conforto, com uma extensão extra para apoiar as pernas. É capaz de ser dos tipos de sofás que trazem mais relaxamento e nos ajudam a descansar como deve de ser mesmo em pequenas pausas durante o dia. 

Sofá chesterfield: o charme na sala de estar

sofá

Pexels

É um sofá mais formal, mais clássico. A suas características de braços enrolados, estofos de couro e botões costurados no acolchoado em profundidade oferecem um design original e sofisticado que vão dar à tua sala um toque vintage que não deixará ninguém indiferente.

Sofá de canto (ou em L): a solução para todas as divisões

É a solução perfeita para encaixar em cantos de escritórios ou salas, otimizando assim o uso do espaço. Permitem conforto a quem visita, mas não ocupam demasiado espaço. Caso tenhas uma sala grande, podes também optar por este tipo de sofá que pode até acompanhar o contorno da parede criando um recanto mais aconchegante.

Divã: elegância e cama extra

sofá

Pixabay

Fica bem no quarto, na sala de leitura, escritório, sala, hall de entrada… o divã fica bem em qualquer zona da casa. É parecido com o sofá-cama, mas geralmente mais elegante, com uma extremidade mais alta para apoiar a cabeça e sem apoio de braços. Se tiver um tamanho considerável, também pode servir de cama extra para as visitas.

Sofá reclinável: acompanha os movimentos e as necessidades

Criado com assentos que podem ser reclinados de forma manual, automática ou eletrônica, (perfeito para adaptar ao nosso mood e à forma como nos queremos sentar) de forma a oferecer mais aconchego. Se te apetecer estar numa posição mais confortável por exemplo para ver um filme, podes reclinar a cabeceira e as pernas, deixando-te numa posição quase horizontal e quando te fartares basta voltares à posição inicial. 

Pontos a considerar para escolher o sofá perfeito

sofá

Pixabay

Escolher e comprar o melhor sofá de sempre envolve considerares alguns fatores de forma a assegurares que fazes uma boa compra e atendes à tuas necessidades, ao estilo que gostas e ao orçamento que tens.

  • Espaço disponível

Mede e confere que tens o espaço necessário para o sofá que desejas. Certifica-te que tem a largura comprimento e altura necessários para garantir que caberá na perfeição da tua sala.

  • Estilo e decoração

É importante escolheres um sofá que se adeque ao estilo da tua casa e que lhe dê ainda mais beleza. Pensa no design, na cor que combina com as cores da divisão e em todos os detalhes estéticos de forma a garantires que o teu novo sofá se vai integrar na perfeição e de forma harmoniosa ao ambiente da tua casa.

sofá

Pexels

  • Conforto e comodidade

Vai até à loja e senta-te no sofá que gostavas comprar. Sente-o, vê como te sentes e qual é o nível de conforto. Avalia a profundidade do assento, a altura do encosto das costas e dos braços, a textura do forro, a firmeza das almofadas, a altura do sofá… verifica todos os pormenores que te possam ou não trazer bem-estar e comodidade quando estiveres sentado no novo sofá.

  • Material e durabilidade

 O revestimento do sofá e os materiais que o compõem fazem parte da verificação obrigatória antes de o comprares. Considera também a durabilidade, a facilidade de limpeza (limpar sofás por vezes não é tarefa fácil e é melhor jogar pelo seguro e escolher um que nos ajude nessa tarefa) e a resistência ao desgaste com o passar do tempo.

sofá

Pexels

  • Tempo de uso

Aqui, a questão do tempo em que tencionas sentar-te e deliciar-te com o novo sofá depende de vários fatores, incluindo se tiveres crianças pequenas ou animais de estimação, por exemplo (todos conhecemos os famosos riscos com caneta de tinta permanente nas almofadas brancas). Tem em conta a resistência que o sofá terá de ter para durar o máximo de tempo possível em boas condições.

  • Reputação da marca

É importante verificares a qualidade e reputação da marca do sofá que tencionas comprar. Se fizeres a compra online, confere os comentários e avaliações que outros compradores tenham feito e opta sempre por uma marca ou loja confiável e com bom feeedback no atendimento ao cliente.

sofá

Pexels

  • Orçamento

Antes de começares a tua pesquisa (e para evitar compras excessivas), traça um orçamento real sobre quanto queres investir num novo sofá. E não te preocupes porque os sofás estão disponíveis numa ampla faixa de preços e com toda a certeza que vais encontrar o sofá perfeito para ti e dentro do teu orçamento.

  • Manutenção

Ao longo do tempo o sofá precisará de ser mantido e limpo e por isso é aconselhável verificares os requisitos de manutenção do sofá que queres comprar. Alguns sofás podem exigir cuidados e limpeza especiais devido aos materiais de forro, enquanto outros são mais fáceis de limpar e manter por maiores períodos de tempo.

  • Política de devolução e garantias

Confirma a política de devolução e garantia antes de comprares o sofá novo visto que sabemos o quanto pode ajudar em situações de defeito ou problemas de qualquer tipo com os produto que adquirimos. 

sofá

Pixabay

Lembra-te que escolher um sofá é uma decisão pessoal e pede ponderação e tempo para fazeres a melhor escolha. Prioriza as tuas necessidades e preferências para encontrares o sofá perfeito para ti, que se vai adaptar ao teu estilo de vida, à decoração da casa, ao espaço que tens livre e ao gosto de toda a família!

Decorar espaços exteriores para os meses mais frios

No inverno, não hibernes. Eis algumas dicas de como aproveitar os espaços outdoor em grande estilo.

Se estivéssemos destinados a viver o inverno dentro de um casulo, hibernaríamos. Apesar do conforto de estar à lareira ou da tentação de passar a época chuvosa no sofá com uma manta, é maravilhoso poder desfrutar da proximidade com a natureza de forma confortável durante as estações mais frias. Passar mais tempo ao ar livre não só beneficia o nosso bem-estar físico, mas também o mental.

Numa época em que grande parte da vida decorre em ambientes urbanos fechados e distantes da natureza, criar pequenos oásis ao ar livre é fundamental para aproveitar, mesmo que por breves momentos, a frescura do ar, a beleza do céu estrelado, o aroma da terra molhada e o canto dos pássaros, independentemente da estação do ano, tal como explica Catarina Diniz da Staging Factory.

Com a chegada do frio e dos dias mais curtos, há uma grande tendência para negligenciar os espaços exteriores, e considerá-los desconfortáveis, pouco funcionais durante o outono e inverno. No entanto, com um toque de criatividade e algumas escolhas estratégicas, é possível transformar estes espaços em verdadeiros refúgios, confortáveis, acolhedores e bem equipados para os dias mais frios.

espaços exteriores

Staging Factory

Mobilar e decorar espaços exteriores no outono-inverno

Neste artigo vamos explorar ideias e dicas para mobilar e decorar espaços exteriores, de forma a incentivar um contacto mais próximo e frequente com a natureza permitindo um aproveitamento dos espaços exteriores ao longo de todo o ano, incluindo nos meses mais frios.

  • Escolher materiais adequados

Ao decorar espaços exteriores para o outono e o inverno, a escolha de materiais é essencial. Opta por móveis e acessórios feitos de materiais duráveis, como madeira tratada resistente à água, alumínio ou aço inoxidável. Isso garantirá a durabilidade e a beleza dos elementos decorativos mesmo nas condições climáticas adversas.

  • Aconchego com tecidos

Utiliza tecidos confortáveis para criar uma atmosfera acolhedora. Escolhe materiais resistentes à água, como poliéster ou tecidos impermeáveis e tem à mão almofadas, mantas e tapetes macios para adicionar conforto às cadeiras e sofás outdoor.

espaços exteriores

Staging Factory

  • Iluminação ambiente

A iluminação desempenha um papel crucial na criação de uma atmosfera aconchegante. Utiliza lanternas, velas ou cordões de luz para iluminar o espaço outdoor. Sistemas de iluminação com luzes LED incorporadas em árvores ou estruturas dão um toque mágico ao ambiente.

  • Aquecimento eficiente

Um dos elementos-chave para transformar o espaço ao ar livre num refúgio acolhedor durante o inverno é a utilização de aquecimento exterior. Elementos como lareiras, aquecedores de exterior ou coberturas retráteis, são fundamentais para criar um ambiente convidativo criando ao mesmo tempo um ponto focal visualmente atrativo. Combinados com mantas confortáveis, transformam qualquer espaço exterior num refúgio mesmo nas noites mais frias.

espaços exteriores

Foto de Arcwind no Unsplash

  • Coberturas resistentes às condições climáticas 

Proteger o espaço ao ar livre dos elementos mais agrestes como a chuva e o vento é essencial. Gazebos, pérgolas, toldos retráteis, cortinas externas ou capas resistentes garantem que o mobiliário se mantenha protegido  da chuva e vento, criando ao mesmo tempo uma sensação de acolhimento e privacidade.

  • Decoração temática

Aproveita a mudança de estação para explorar elementos decorativos temáticos. No outono, utiliza cores quentes e acessórios que remetam à época como abóboras, folhas secas e velas aromáticas. No inverno, opta por tons mais frios e decorações festivas, como luzes de Natal e enfeites sazonais. Isto não apenas transforma o espaço, mas também cria uma dinâmica e uma sensação sazonal única.

espaços exteriores

Foto de Tanny Do no Unsplash

  • Abraçando o hygge

Adopta o conceito dinamarquês de hygge, para criar uma sensação de aconchego. Imagine os amigos reunidos à volta de uma mesa à luz de velas, em alegre convívio enquanto saboreia um vinho quente como nos países nórdicos. Aproveite a estação fria para criar eventos recriando as melhores tradições escandinavas.

  • Um barbecue de qualidade

Inclui um churrasco grande e de qualidade, pronto para uma utilização constante no exterior. Esta peça fundamental não só permite desfrutar de deliciosas refeições ao ar livre, mas também convida familiares e amigos a saírem de casa e brindar à natureza, tornando-se um ponto focal para encontros animados e momentos memoráveis.

Decorar espaços outdoor para os meses mais frios é um desafio e uma experiência gratificante. Além de permitir desfrutar da beleza e serenidade da natureza em qualquer estação investir em materiais resistentes, adicionar elementos acolhedores e pensar estrategicamente na iluminação e no aquecimento, é possível criar um ambiente extra, atraente e funcional para receber os amigos. Aproveita a magia dos dias frios e prepare-te para saborear bebidas quentes no conforto das mantas e almofadas macias hipnotizados pelas chamas vivas do fogo.

espaços exteriores Foto de Jonathan Cooper no Unsplash