Search for:
Prepara a tua Casa para o Verão: Dicas de Organização e Limpeza

Eis que o bom tempo está aí à porta e chegou a hora de preparar a casa para o verão. As mudanças de estação são sempre um bom pretexto para fazer limpezas e arrumações mais profundas, e para deixar a tua casa mais funcional. E o verão não é uma exceção.

Para que esta tarefa não seja demasiado pesada, trazemos-te algumas dicas simples que podes aplicar quando estiveres a preparar a tua casa para o verão.

Organização e Limpeza

Com a chegada do verão, é conveniente proceder a uma limpeza mais profunda da casa. Todos aqueles lugares que, normalmente, são deixados para trás por serem menos acessíveis, podem precisar da tua atenção.

Na Sala:
  • Limpa os tapetes e carpetes, aproveitando para retirar aqueles que já não serão utilizados neste tempo mais quente.
  • Aspira e/ou limpa o sofá em maior profundidade, retirando as almofadas e chegando às partes menos acessíveis (por baixo e por trás).
  • Retira tudo das estantes, móveis e prateleiras e limpa o pó cuidadosamente.
  • Limpa quadros e todos os itens de decoração.
  • Se for o caso, limpa a lareira e deixa-a pronta para o tempo mais frio.
  • Limpa os equipamentos elétricos que estão na sala (televisão, comandos, consola de jogos, entre outros).
Na Cozinha:
  • Limpa e organiza as gavetas e os armários. Já agora, aproveita para verificar se tudo o que tens nos armários ainda está em condições de ser utilizado (especialmente, dentro do prazo de validade).
  • Limpa todos os eletrodomésticos, incluindo a torradeira, o forno, o fogão, o frigorífico, a máquina de lavar a loiça e a da roupa.
  • Lava os caixotes do lixo.
No Quarto:
  • Limpa o colchão, aspirando com cuidado e, se possível, colocando-o ao sol (pode ser hora de trocar para a face de verão, se tiver essa opção).
  • Arruma e limpa os móveis, quadros e decoração.
  • Muda a roupa do roupeiro para roupas mais leves de verão (não te esqueças de deixar uma ou duas peças mais quentes para o clima mais frio).
  • Lava as colchas, almofadas e tapetes.
  • Coloca lençóis e roupa de cama de verão.
Na Casa de Banho:
  • Esvazia todas as prateleiras, limpa por dentro e verifica se todos os produtos estão em condições de utilização.
  • Limpa os azulejos e as paredes.
  • Muda os tapetes de casa de banho para algo mais fresco.

Oportunidade para “Destralhar”

Por norma, quando fazes arrumações, encontras artigos de que já não gostas, não te fazem mais falta ou já não te servem. Se for o caso, junta todas essas coisas e doa a instituições, oferece, recicla ou, em último caso, deita fora. Não acumules coisas que já não precisas. A ti já não te fazem falta, mas podem sempre fazer jeito a outra pessoa.

Alguns exemplos de itens que podes “destralhar”:
  • CD, DVD, livros, jornais e revistas.
  • Roupa e sapatos.
  • Brinquedos que já não usas.
  • Utensílios de cozinha repetidos.

Têxteis mais Frescos

Com a chegada do calor é hora de guardar o edredão e colocar lençóis mais frescos nas camas. Também os cortinados e os tapetes podem ser trocados por outros com um tecido mais fino e com cores ou padrões mais veraneantes. Arruma os cobertores pesados e as mantas (mas deixa uma mais leve para o sofá).

Uma Decoração à Verão

Embora não tenhas necessidade de mudar a casa por completo, existem coisas simples que podes mudar para deixares a casa mais fresca e apropriada ao verão. Coloca vasos com flores, muda as capas das almofadas, troca a toalha de mesa por uma mais colorida, e utiliza peças com materiais naturais. Aproveita uma ida à praia para apanhares algumas conchas, pedras e areia que depois podes usar como decoração, enfeitando jarras de vidro, por exemplo.

Uma Casa Sempre Fresca

Durante as horas mais quentes, mantém as janelas e os cortinados fechados para que a casa não aqueça demasiado. Ao final da tarde ou princípio da noite, quando estiver mais fresco, abre as janelas e deixa o ar fresco refrescar a tua casa. Não te esqueças de colocar uma rede ou algum tipo de repelente de mosquitos para evitar que as melgas arruínem a tua noite de verão.

Um Espaço Exterior Convidativo

Se tens um espaço exterior (seja um terraço, um quintal, um jardim ou uma varanda), aproveita para usufruir do mesmo, neste verão. Para que este seja um tempo de verdadeiro lazer, é fundamental que o mesmo seja convidativo. Isso pode passar por uma simples limpeza, bem como pela colocação de uma mesa e umas cadeiras para te sentares a ler um bom livro ou a beber uma bebida com a tua família ou amigos. Se tiveres espaço, aproveita para tomares as tuas refeições no exterior.

Preparar a casa para o verão não tem de ser uma tarefa pesada. Com estas dicas, podes tornar a tua casa mais fresca, organizada e pronta para aproveitar ao máximo os dias quentes e ensolarados.

O que considerar ao renovar o sótão (e quanto custará)

Neste artigo, encontrarás respostas a algumas das questões básicas que deves considerar quando renovares o teu sótão.

Renovar o sótão significa acrescentar metros quadrados à casa e, por conseguinte, aumentar o seu valor. É essencial planear claramente o que é necessário. Ajudamos-te a fazê-lo com êxito.

O que é essencial para renovar um sótão?

Para transformar um sótão num espaço habitável, é essencial prestar atenção ao telhado. Isola-o bem (melhor do lado de fora) porque cerca de 25% da energia de uma casa mal isolada escapa pelo telhado. Para além disso, é essencial permitir a entrada de luz natural (normalmente com uma janela no telhado, como veremos abaixo). Se o sótão já tiver uma escada e altura suficiente, a renovação será bastante fácil e aumentará o valor da tua casa. Caso contrário, para uma deslocação razoável, a altura mínima deve ser de, pelo menos, um metro e meio, embora se recomende que 25% da superfície tenha, pelo menos, 2,20 metros de altura.

Por último, é importante distribuir bem o espaço. O senso comum diz que as zonas mais baixas devem ser reservadas para arrumação, libertando o centro para um bom sofá e uma mesa de café grande. Encontrar mobiliário adequado, ou mandá-lo fazer à medida, é altamente recomendável e o resultado será um espaço mais ordenado e prático.

casas de arquiteto

Créditos: Pexels

Como é que se consegue mais luz num sótão?

Esta é uma pergunta comum e a resposta é clara. As janelas de sótão são as que proporcionam mais luz natural. Existem janelas pivotantes (a janela de sótão clássica pode custar cerca de 600 euros já instalada), que são facilmente acessíveis e permitem essencialmente ventilar a divisão. Existem também modelos salientes que se abrem completamente para o exterior, com abertura manual ou elétrica. Marcas como a Velux têm soluções relativamente inovadoras, como as janelas que se transformam em varandas – a janela superior abre 45º para o exterior – e trazem muita luz natural para o sotão. Há também soluções decorativas que podem trazer uma maior sensação de luz a um espaço. É comum as casas rústicas terem um sótão com vigas de madeira. Se for esse o caso, pinta-as de branco e faz o mesmo com o revestimento e o pavimento.

decorar casa

Créditos: Pexels

É realmente uma boa ideia ter um quarto no sótão?

Pode não ser a melhor opção, mas é claro que pode ser feito. No entanto, há duas questões principais a ter em conta: a altura e o isolamento. Quer tenhas decidido que queres um quarto extra, quer prefiras uma sala de estar para ver televisão e jogar com a consola de videojogos ou uma área de trabalho, deves ter pelo menos 2,20 metros de altura. Se o tiveres, perfeito. Se não tiveres, tens de elevar o piso, mas isso será bastante dispendioso e só o deves fazer se achares que vale mesmo a pena e que vais valorizar a tua casa.

Como decorar e mobilar um sótão?

Eis algumas dicas gerais. A melhor coisa a fazer em áreas onde a altura útil não permite uma utilização regular é conceber roupeiros feitos à medida, colocar gavetas para guardar malas ou brinquedos, ou instalar um armário baixo para a televisão ou algumas prateleiras como estante de livros. Também podes instalar um pequeno escritório ou uma área de estudo junto à janela. Em geral, evita a compartimentação para que a luz natural inunde toda a divisão. Quanto aos acabamentos, utiliza materiais naturais. No chão, por exemplo, utiliza um laminado (AC3) ou um material como a cortiça, que é muito isolante e quente.

reformar casas

Créditos: Pexels

Quanto custa aproximadamente renovar o sótão?

O mais comum, que é basicamente mais um trabalho de remodelação e consiste em instalar pavimento e isolamento, remover algumas paredes divisórias, renovar os acabamentos e instalar uma janela de sótão, pode custar a partir de 275€/m2. Por outras palavras, para equipar um sótão com cerca de 50 metros quadrados, deves ter um orçamento de, pelo menos, 13.000 euros. Se quiseres instalar uma casa de banho no sótão, o orçamento aumentará substancialmente porque, entre outras coisas, terá de ser feita a instalação.

Home Staging: preparar a casa para vendê-la mais rápido

Home Staging é a solução para venderes ou arrendares o teu imóvel de forma rápida e eficiente.

Home staging é uma prática à qual já ninguém fica indiferente. As constantes mudanças no setor imobiliário e na compra e venda de imóveis pedem-nos que acompanhemos a sua evolução e mesmo técnicas de marketing dos anos 70, como é o caso do home staging, fazem a diferença quando é hora de arregaçar as mangas e vender um imóvel

Home staging: o que é e para que serve? 

Home staging significa, literalmente, em português, “encenar, preparar ou decorar a casa”. É um termo conhecido entre os peritos de marketing quando se quer realçar os pontos altos de um imóvel antes da sua venda. É uma técnica que ajuda à rápida venda de imóveis e que se foca na sua apresentação e decoração geral. 

Foi criada nos Estados Unidos na década de 70 e tem vindo, desde então, a ser difundida por todo o mundo. A prática de home staging anda de mãos dadas com o design de interiores e com conhecimentos no mercado imobiliário.

Tornamos o imóvel mais atrativo e enaltecemos o melhor que tem para oferecer através da reorganização da mobília, adição de elementos decorativos, melhoramento dos espaços e aprimoramento da iluminação.

homestaging

Freepick

Como aplicar o home staging?

O home staging pode ser realizado por ti, como proprietário do imóvel, ou por especialistas da área de design de interiores. Mostrar as melhores características da propriedade enquanto se cria uma atmosfera convidativa e atraente requer alguns cuidados e envolver diversas técnicas neste processo de embelezamento e apresentação geral. 

Se quiseres experimentar aplicar o homestaging sem contratar profissionais, eis o que tens de fazer:

  • Organiza e despersonaliza

Desordem é algo que não pode haver em tua casa. Os objetos pessoais e bugigangas têm de desaparecer para que não tirem a atenção quando um possível comprador for visitar o espaço. O objetivo é eles concentrarem-se nas características da casa e não se perderem nos teus objetos pessoais espalhados pelas divisões.

  • Limpa, limpa, limpa

A limpeza profunda da casa, de uma ponta à outra, é essencial e imprescindível. Chão, janelas, paredes, azulejos, bancadas, portas – todos os cantos quegeralmente te esqueces de limpar – têm de ser incluídos nesta sessão de limpeza. Um ambiente limpo e fresco desperta uma opinião positiva sobre o imóvel e sobre ti.

  • Presta atenção ao exterior

O exterior do imóvel é a primeira coisa que os potenciais compradores vão ver. Se tiveres jardim, aprimora o aspeto visual, corta a relva, poda as rosas, varre as folhas caídas. Se não tiveres jardim, toma atenção à entrada da casa e certifica-te que está bem conservada, limpa e convidativa. Pondera a possibilidade de teres alguns vasos com plantas ou flores para ter impacto de boas-vindas. 

Organizar o espaço exterior

Pexels

  • Aposta nas cores neutras

Escolhecores neutras para pintar as paredes: a possibilidade de agradares a um leque maior de compradores aumenta e podes conjugar mais facilmente com as cores da mobília e dos objetos decorativos. Para além disso, a utilização de cores neutras nas paredes trazem um estado de paz e calma e dão-nos a sensação de que as divisões são maiores e mais luminosas.

  • Confere a disposição dos móveis

A mobília tem de ser estrategicamente disposta de forma a maximizar o espaço e a fluidez do imóvel. Evita ter mobília demasiado grande ou em excesso porque te vai tirar espaço à divisão e trazer a sensação de ser um espaço apertado.

homestaging

Pixabay

  • O poder da luz natural

A luz natural tem de chegar à maior superfície possível do teu imóvel. Portanto, estores abertos, cortinas recolhidas e deixa o sol entrar. Os espaços com luz natural e bastante iluminação chamam mais atenção, tornam as divisões mais espaçosas e despertam uma sensação espontânea de alegria e bem-estar.

  • Aposta na simplicidade

Por vezes algo simples funciona melhor do que algo complexo. No caso da decoração do teu imóvel, aposta em objetos decorativos estrategicamente colocados, minimalistas, como obras de arte, espelhos, simples objetos ou plantas mas evita sobrecarregar o espaço. Mantém as divisões limpas de demasiados acessórios e lembra-te: na decoração, menos é mais.

  • Realça o espaço

Transforma a tua casa num espaço versátil e convidativo. Concentra-te nas divisões principais e tenta tirar o melhor proveito delas, usando o espaço de forma inteligente e criativa.

homestaging

Pixabay

  • Atenção aos pormenores

Os possíveis compradores têm olhos de falcão e vêm tudo. Os pequenos pormenores fazem uma grande diferença e é importante estares atento e não deixar escapar nada durante o teu processo de home staging como detalhes que precisam de ser reparados, acessórios desatualizados ou possíveis obras.

Homestaging: prós e contras

O home staging pode oferecer várias vantagens na venda de um imóvel, mas também tem alguns inconvenientes que merecem ser levados em consideração. Vamos explorá-los:

Vantagens

1. Maior encanto e atratividade

Quando uma casa tem a sorte de ser alvo de homestaging, o seu magnetismo e carisma crescem exponencialmente, levando assim a uma maior atratividade. O imóvel irá atrair mais potenciais interessados em comprar e arrendar visto que foi criada atmosfera visualmente apelativa e convidativa.

2. Rapidez da venda ou do arrendamento

A preparação, reorganização e decoração da casa (homestaging) pode ajudar a acelerar o processo de venda ou arrendamento visto que o imóvel se tornará muito mais bonito, apelativo e memorável. Prepara-te para uma venda rápida como um piscar de olhos!

homestaging

Pixabay

3. Maior valor do imóvel

Se o teu imóvel está a brilhar como novo e com uma decoração incrível, logicamente que pode ser considerado mais valioso. Terás a oportunidade de vender ou arrendar a tua casa a preços mais elevados e sair a ganhar.

A esse respeito, você pode contar com o avaliador imobiliário para obter uma primeira estimativa rápida e gratuita do valor da sua casa.

4. Mais vantagem na concorrência

Sabemos como o setor imobiliário é bastante competitivo e é importante encontrarmos soluções para nos destacarmos da concorrênciae gerar mais interesse a possíveis compradores. O homestaging pode ajudar uma propriedade a ganhar vantagem e a gerar mais valia em comparações com outros imóveis que não passaram pelo mesmo processo de decoração.

5. Realçar o potencial da propriedade

O homestaging oferece a possibilidade de demonstrar as melhores características de uma casa de forma inteligente e prática, criando um ambiente acolhedor e ajudando os compradores a imaginarem como podem utilizar o espaço ou viver nele.

Desvantagens

1. Custo

Tudo tem um preço, e os serviços profissionais de homestaging não são exceção! Pode ser dispendioso adquirir mobiliário, a nova decoração e reorganização e o trabalho dos especialistas de homestaging.

2. Inconveniência a vários níveis

Digamos que é inconveniente a preparação de um imóvel através de um processo de homestaging. Demora tempo, perturba o nosso dia-a-dia, a casa fica do avesso, tudo é reorganizado e fora do lugar habitual e passamos por um processo de adaptação que pode não ser fácil.

3. O estilo pode não bater certo

Pode ser um tiro no escuro acertar no nosso gosto individual com as escolhas de decoração feitas por um profissional de homestaging. Elas podem não estar necessariamente alinhadas com o teu gosto ou estilo pessoal e isso poderá causar um certo transtorno. É importante chegar a um concenso e encontrar um equilíbrio entre as tuas preferências e gostos e, ao mesmo tempo, apelar a um vasto leque de compradores do teu imóvel.

homestaging

Freepick

4. Manutenção constante

Se desejas investir em homestaging, o teu imóvel precisará de uma manutenção constante e adicional em comparação com a que estás habituado. A casa precisa de ser mantida sempre impecavelmente perfeita, com condições exemplares para ser mostrada ao público a qualquer hora, a qualquer momento.

5. Redução de espaço

Se a tua casa está em processo de homestaging, o teu“espaço de manobra” é reduzido. A capacidade de utilizares certos espaços do imóvel pode ser limitada até que seja vendido ou arrendado, o que pode dificultar a tua rotina diária.

Pondera os prós e contras antes de tomares uma decisão. Pondera todas as circunstâncias, confere o teu orçamento, informa-te sobre o mercado imobiliário e considera pedir feedback a pessoas que tenham passado pela experiência de home staging

Estores elétricos ou de rolo: qual a melhor opção?

Descobre os pontos negativos e positivos de cada um destes sistemas e escolhe o mais adequado para a tua casa.

A escolha entre estores elétricos e de rolo depende das preferências pessoais e do ambiente em que serão instalados. Independentemente do estilo da casa, é essencial dar vida às janelas, seja com estores, persianas ou cortinas, tanto internas quanto externas. Estes apontamentos na decoração, não só criam um ambiente acolhedor, como proporcionam segurança e conforto térmico e acústico.

Com uma ampla variedade de opções disponíveis no mercado, é fácil encontrar alternativas que combinem perfeitamente com as janelas e o estilo da tua casa.

Estores elétricos: modernos e práticos

Estores elétricos ou de rolo: qual a melhor opção?

freepik

Os estores são uma ótima opção para quem quer proteger as janelas de casa. Porém, muitas pessoas desistem dos modelos tradicionais e acabam por optar por estores elétricos que são uma alternativa mais atrativa, especialmente devido à facilidade de manutenção.

Se pensarmos nos problemas comuns que ocorrem com os estores tradicionais, podemos então dizer que esta opção é sem dúvida mais vantajosa. No entanto, tudo tem um senão e os estores elétricos não são exceção, por isso descobre as vantagens e desvantagens. 

Quais são as vantagens dos estores elétricos?

Os estores elétricos oferecem uma série de vantagens em comparação com os estores de rolo. Oferecem uma série de vantagens, incluindo conveniência, facilidade de uso, segurança, economia de energia e durabilidade, tornando-os uma escolha mais frequente para aplicar nas janelas de casa ou em espaços comerciais. Conhece todas as vantagens de instalares estores elétricos:

  • Uma das maiores vantagens dos estores elétricos é a conveniência que oferecem. Eles podem ser facilmente controlados por um interruptor na parede, controlo remoto ou até mesmo por uma aplicação para smartphone, permitindo abrir e fechar os estores com um simples toque, sem precisares de fazer qualquer esforço físico;
  • O controlo remoto ou a aplicação para smartphone facilitam o ajuste dos estores, tornando-os ideais para pessoas com mobilidade reduzida ou para locais de difícil acesso. Além disso, muitos modelos podem ser programados para abrir e fechar automaticamente em horários específicos;
  • Os estores elétricos, geralmente, possuem recursos de segurança integrados, como sensores de obstáculos que interrompem o movimento se algo estiver a bloquear a sua trajetória. Esta funcionalidade permite reduzir o risco de acidentes, especialmente em residências com crianças e animais de estimação;
  • Dependendo do tipo de tecido utilizado nos estores, é possível obter benefícios adicionais, como o controlo térmico e a redução do consumo de energia. Existem estores adequados que podem ajudar a manter a temperatura interna da casa mais estável;
  • Quando instalados e mantidos adequadamente, os estores elétricos tendem a durar muitos anos.

Desvantagens dos estores elétricos

Uma das desvantagens de instalar estores elétricos passa pelo motor. O motor dos estores pode falhar, deixando os estores presos até que alguém os repare. Dependendo da natureza da avaria, os custos de reparação podem ser elevados e o problema pode tornar-se ainda mais grave se todos os estores forem acionados pelo mesmo motor.

Outra desvantagem é o custo da instalação. Geralmente, sistemas automatizados tendem a ser mais dispendiosos, e o custo total aumenta com o número de janelas equipadas com esses estores. Além disso, o preço final é influenciado pelos materiais escolhidos e por eventuais extras. No entanto, existem modelos e opções mais sofisticadas que outras. 

Estores de rolo: porque são uma boa opção?

Estores elétricos ou de rolo: qual a melhor opção?

freepik

Os estores de rolo são uma escolha ideal para assegurar o conforto da sala de estar ou do escritório. Esta peça não só protege o espaço da intensa luz solar, como, também, adiciona um toque de elegância e charme ao ambiente.

Com uma variedade de modelos disponíveis, é fácil encontrar o estore perfeito para combinar com qualquer divisão. Além de serem práticos e versáteis, estes estores são simples de instalar e de limpar, tornando-se cada vez mais populares em lares e espaços comerciais.

Fabricados em diversos materiais, como tela de poliéster ou bambu, estes estores desenrolam de baixo para cima, proporcionando privacidade com a entrada controlada de luz natural.

Contudo, é necessário conheceres as vantagens e desvantagens deste acessório para que a tua decisão seja a mais correta e ponderada. 

Vantagens dos estores de rolo

Estas são apenas algumas das vantagens dos estores de rolo, que tornam uma escolha popular para muitos espaços residenciais e comerciais: 

  • Controlo da luz: os estores de rolo permitem um controlo preciso da quantidade de luz que entra num espaço. Podem ser ajustados para bloquear completamente a luz ou para permitir a entrada de luz difusa;
  • Privacidade: estes estores oferecem privacidade quando estão fechados, impedindo a visibilidade do interior do espaço a partir do exterior;
  • Proteção UV: muitos estores de rolo são utilizados para bloquear os raios UV prejudiciais, o que ajuda na proteção dos móveis e objetos de arte da descoloração e danos causados pelo sol;
  • Isolamento térmico: dependendo do material e da espessura do tecido, os estores de rolo podem ajudar a isolar um espaço, mantendo-o mais fresco no verão e mais quente no inverno. Esta função pode ajudar a economizar energia ao reduzir a necessidade de aquecimento ou ar condicionado;
  • Estética: disponíveis em várias cores, padrões e tecidos, os estores de rolo podem complementar a decoração de qualquer espaço ao adicionar um toque de estilo e elegância.
  • Fácil manutenção: são relativamente fáceis de limpar e manter. A maioria dos estores de rolo pode ser limpa com um pano húmido ou aspirador de pó, o que os torna uma escolha prática para quem procura soluções de fácil manutenção;
  • Versatilidade de instalação: Podem ser instalados em diferentes tipos de janelas.

Estores de rolo: quais as desvantagens?

Embora os estores de rolo ofereçam algum controlo sobre a entrada de luz, eles podem não ser tão versáteis como outros tipos de acessórios para as janelas como persianas ou cortinas. Em algumas situações, pode ser difícil obter um bloqueio total da luz.

Para garantir um ajuste adequado, os estores de rolo, geralmente, requerem medidas precisas da janela. Erros de medição podem resultar em estores que não se encaixam corretamente ou que não funcionam adequadamente. Dependendo do material do tecido, os estores podem acumular poeira e sujidade ao longo do tempo, requerendo limpeza regular para manter a aparência e o desempenho. Alguns tecidos também podem ser mais suscetíveis a manchas e danos.

Em alguns casos, podem apresentar problemas de funcionamento, como dificuldade em subir ou descer suavemente, ou até mesmo bloqueios no mecanismo de enrolar, o que pode exigir reparos ou substituições, especialmente em estores de qualidade inferior.

O custo inicial pode ser mais elevado do que simples cortinas ou persianas de plástico, dependendo do tamanho da janela e da qualidade do material. 

Estores de rolo: os mais usados

Decorar pode ser desafiador, pois requer criatividade ao executar as ideias. Cada projeto precisa atender às necessidades específicas do espaço que se quer decorar. No entanto, os estores de rolo surgem como uma solução versátil, adaptável a qualquer estilo decorativo. Podem ser facilmente incorporados em várias áreas, como salas de estar, quartos e escritórios, e até mesmo em ambientes profissionais, como consultórios, para propósitos decorativos e de conforto.

É importante escolher os estores de rolo ideais para o espaço, considerando o tipo de tecido que melhor se adequa às necessidades.

Abaixo, apresentamos os modelos mais comuns disponíveis para inspirar a tua escolha:

  • Tela solar: este é um dos modelos mais requisitados nos projetos de decoração. É possível bloquear a passagem de raios UV e controlar a entrada de luz natural no espaço. A tela solar ajuda a filtrar os raios provindos do sol;
  • Blackout: Este tipo de estore é altamente indicado se quiseres bloquear totalmente a entrada de luz natural. Isso porque os tecidos blackout são responsáveis por bloquear 99% da passagem da luz solar. É muito indicado para o quarto e também para a sala de estar;
  • Tecido: Trata-se de um modelo altamente personalizável, uma vez que podes escolher o tipo de tecido que mais combina com o resto da divisão. São diversas as cores e padrões disponíveis e também auxilia no bloqueio da passagem de luz. Porém, o principal objetivo destes estores é dar o toque final à decoração de um espaço.

Retirado do Idealista – Adaptado por Dicas Imobiliárias

Como tirar partido de um apartamento de 90 m2 com mobiliário funcional

Em 90 m2, é possível criar várias divisões: eis alguns conselhos para mobilar cada espaço da melhor forma possível.

Uma casa de 90 m2, geralmente um apartamento de três assoalhadas, é o tipo de apartamento ideal para viver com a família. Há espaço suficiente para três ou quatro pessoas e cada um pode ter o seu próprio espaço confortavelmente. No entanto, mesmo que não seja uma casa pequena, é importante otimizar o mobiliário de cada divisão, de modo a tornar cada canto altamente funcional. Descobre, portanto, como mobilar uma casa de 90 m2.

Sala e cozinha num espaço aberto

Combinar a sala de estar e a cozinha num espaço aberto não só otimiza a área disponível, reduzindo o espaço das paredes ou divisórias, como também cria um local para passar momentos de convívio com a família. Se quiser optar por esta solução, que – aliás – também se presta a um estilo moderno, há algumas dicas que podes considerar:

  • Definir as áreas: mesmo num espaço grande, é importante definir claramente as diferentes zonas. Utiliza tapetes, iluminação diferente ou variações do pavimento para marcar visualmente os limites entre a cozinha e a sala de estar.
  • Escolhe mobiliário multifuncional: opta por peças de mobiliário como mesas extensíveis, sofás-cama ou ilhas de cozinha com bancos para sentar.
  • Iluminação com diferentes tons: combina diferentes tipos de iluminação para definir zonas e criar o ambiente certo. As luzes pendentes por cima da ilha de cozinha, os candeeiros de pé junto ao sofá e os projetores embutidos são ideias. Basicamente, procura a luz natural para a cozinha e a luz quente para a sala de estar.
decorar casa

Créditos: Pexels

Quarto de dormir: o objetivo é o máximo conforto

O quarto principal é o um refúgio pessoal, um local onde o conforto e o estilo devem coexistir. Certifica-te, por exemplo, de que o quarto está virado para sul, para que seja quente no inverno, e que tem espaço suficiente para uma cama e um grande roupeiro. Em particular, considera:

  • Comprar uma cama com arrumação: o local ideal para guardar edredões e cobertores, de modo a manter o roupeiro arrumado.
  • Construir uma casa de banho privativa: se o espaço o permitir, uma casa de banho privativa oferece o máximo de privacidade e é uma comodidade inigualável.
  • Opta por cores relaxantes: os tons mais adequados são, por exemplo, o azul ou o verde-salva, que favorecem o descanso e tornam o quarto mais arejado.
  • Iluminação suave: projetores ou pontos de iluminação indireta podem tornar o quarto mais acolhedor. Escolhe luzes que possam ser reguladas em termos de intensidade e calor.
casas de arquiteto

Créditos: Pexels

Quarto das crianças: criar um ambiente estimulante

O quarto das crianças é um espaço que deve ser, antes de mais, seguro e, possivelmente, próximo do quarto dos pais. Normalmente, é boa ideia prever também uma secretária onde os mais pequenos possam fazer os trabalhos de casa e brincar. Entre as propostas que podes considerar:

  • Comprar beliches: se o espaço for limitado, os beliches são a solução ideal para libertar espaço para uma secretária de estudo.
  • Chão macio: dedica um espaço no quarto às brincadeiras, com um chão feito de material macio e antiderrapante e contentores baixos para guardar facilmente brinquedos e livros.
  • Paredes para a criatividade: utiliza as paredes como superfícies interativas com quadros autocolantes ou tinta lavável, onde as crianças podem desenhar e escrever.

Estúdio pessoal: espaço para as tuas paixões

Depois de equipar todas as divisões funcionais da casa, podem restar alguns espaços pequenos, um pouco maiores do que uma despensa. Esta divisão pode ser utilizada para criar um pequeno escritório ou uma sala de relaxamento onde possas cultivar as tuas paixões. Se quiseres mobilá-lo genericamente e adaptá-lo mais tarde, considera:

  • Comprar uma secretária feita à medida: aqui podes trabalhar ou estudar confortavelmente, sem ter de aproveitar a mesa da sala de estar.
  • Instalar prateleiras para livros: otimiza o espaço vertical com uma estante de parede para manter os livros e documentos em ordem.
  • Poltrona ou sofá: onde podes ouvir música em silêncio, ler ou ver um filme.
  • Cores inspiradoras: um pequeno escritório também pode ser ligeiramente diferente do esquema de cores da casa. Não tenhas medo de escolher cores vivas e estimulantes.
  • É claro que não devem faltar objetos úteis e decorativos, como quadros, plantas ou um quadro de avisos onde possas pendurar notas e recordações importantes. Se também comprares uma cama dobrável, esta pode transformar-se num quarto de hóspedes para visitas ocasionais.
mobiliário funcional

Créditos: Pexels

Os espaços exteriores são cruciais

Se tiveesr em casa espaços exteriores, como varandas ou terraços, terá certamente de gastar uma parte do teu orçamento para os mobilar. Especialmente quando começa a ficar mais quente, é realmente uma pena não poder desfrutar de um pequeno espaço aberto na cidade. Pensa, por exemplo, em comprar uma mesa ou cadeiras dobráveis para jantar ao ar livre e relaxar na frescura depois do jantar.

Para desfrutar de espaços abertos também durante o dia, instala sistemas de cobertura, como toldos ou pérgulas. Ao sol, lembra-te que os vasos com plantas podem embelezar a casa e dar um toque de alegria na primavera. Por fim, considera investir um pouco no pavimento: a madeira ou os azulejos de exterior são materiais duráveis e esteticamente agradáveis.

Kalanchoe: a “planta do sorriso” perfeita para ter em casa

Adapta-se bem a todos os tipos de climas e dá flores bonitas: descobre como cuidar da Kalanchoe.

Conhecida como a “planta do sorriso“, a Kalanchoe é frequentemente encontrada em casas, jardins e varandas. A sua popularidade não se deve apenas à beleza e cores vibrantes, mas à capacidade de se adaptar a diferentes ambientes e condições de crescimento. Descobre como cultivar esta maravilhosa planta e quais os cuidados a ter com ela.

Como cultivar a Kalanchoe em casa

Originária de Madagáscar, a Kalanchoe é agora popular em todo o mundo graças à sua grande adaptabilidade. Pertence à família Crassulaceae e distingue-se pela sua rusticidade e pelo seu longo período de floração de quase dois meses. 

Para obter melhores resultados, é importante colocar a planta num local onde possa receber luz solar indireta durante a maior parte do dia. A exposição direta ao sol, sobretudo nas horas de maior calor, pode danificar as suas folhas e prejudicar a floração. Além disso, é essencial assegurar uma boa drenagem do solo para evitar a estagnação da água, causa de muitos problemas como o apodrecimento.

Durante os meses mais frios, lembra-te de reduzir a frequência das regas: neste período, a planta está na sua fase de “repouso”. Por fim, pensa bem no solo que vais comprar. É necessário um solo bem drenado, rico em matérias orgânicas e com boa porosidade, semelhante ao dos cactos.

plantas

Créditos: Pexels

Segredos para uma floração abundante

A Kalanchoe não é particularmente exigente, mas requer atenção a certos pormenores para garantir uma floração abundante e saudável. Por exemplo, a planta prefere vasos que não sejam demasiado grandes, pois isso estimula uma floração mais generosa. 

A fertilização também é crucial: a Kalanchoe precisa de um fornecimento equilibrado de nutrientes. Considera a utilização de um fertilizante líquido diluído, misturado com água, aproximadamente de quinze em quinze dias. É claro que esta frequência também pode ser mantida durante o outono e o inverno, períodos em que é aconselhável aumentar a quantidade de fertilizante. Por fim, não te esqueças de podar a Kalanchoe após a floração para estimular um novo crescimento e manter a sua forma típica no ano seguinte.

decoração de interiores

Créditos: Pexels

Quantos tipos de Kalanchoe existem?

Existem mais de 200 espécies diferentes de Kalanchoe. A planta, que pertence às Crassulaceae, pode apresentar-se em diferentes formas e cores. No entanto, as espécies que são cultivadas dentro de casa são muito menos numerosas. Entre elas encontram-se:

  • Kalanchoe blossfeldiana: uma planta que não ultrapassa os 30 centímetros de altura e que apresenta flores verdes brilhantes.
  • Kalanchoe tomentosa: as folhas desta variedade são peludas e prateadas, dando à planta um aspeto único.
  • Kalanchoe daigremontiana: planta suculenta que se caracteriza pelas suas extremidades vermelhas e bronze. Esta espécie pode atingir um metro de altura com o passar dos anos.
jardim vertical

Créditos: Pexels

Psicologia das cores: a influência na decoração de ambientes

Falamos-te do significado e da psicologia das cores e da sua relação com as personalidades e os estilos decorativos.

A decoração de interiores é uma arte que transforma os espaços para refletir personalidades, criar atmosferas e melhorar a qualidade de vida dos seus habitantes. As cores desempenham um papel crucial neste processo, uma vez que cada tonalidade pode influenciar os nossos estados de espírito e as nossas perceções. De seguida, vamos explorar os significados das principais cores, agrupadas pela sua influência no ambiente e pelas emoções que evocam.

Cores quentes: paixão, dinamismo e energia

Cor vermelha

É a cor da paixão, do amor e da energia. Na decoração, o vermelho pode ser estimulante, aumentando a energia de um espaço. É ideal para áreas sociais, como salas de jantar e salas de estar, onde pode encorajar conversas animadas e uma atmosfera acolhedora.

  • Estado de espírito: estimulante e excitante.
  • Personalidade: Pessoas enérgicas, apaixonadas e extrovertidas que gostam da presença e da atenção dos outros.
  • Estilo decorativo: moderno ou eclético. O vermelho pode ocupar um lugar central nos acessórios ou nas paredes para criar um ponto focal vibrante.
decorar casa

O verde, o azul e o roxo são cores frias, que convidam à calma e à reflexão / Pexels (Max Vakhtbovycn)

Cor laranja

Esta cor evoca a sensação de calor, alegria e entusiasmo. É menos intensa do que o vermelho, mas igualmente energizante, perfeita para cozinhas ou salas de jogos, onde a atividade e o convívio são encorajados.

  • Estado de espírito: alegre e motivador.
  • Personalidade: pessoas otimistas, sociáveis e criativas que procuram estímulo e diversão.
  • Estilo decorativo: boémio ou industrial. O laranja traz calor e originalidade, ideal para espaços informais e artísticos.

Cor amarela

Representa a alegria, a luz e a criatividade. Em espaços pequenos ou mal iluminados, o amarelo pode trazer luminosidade e amplitude. É ideal para estúdios, cozinhas e casas de banho, oferecendo uma atmosfera fresca e vibrante.

  • Estado de espírito: otimista e criativo.
  • Personalidade: alegre, engenhoso e aberto a novas experiências.
  • Estilo decorativo: escandinavo ou contemporâneo. O amarelo pode iluminar e dar energia aos espaços, mantendo a simplicidade e a elegância.
estilo vintage

Os vermelhos, laranjas e amarelos são cores quentes, sinónimo de paixão, dinamismo e energia / Pexels (Max Vakhtbovycn)

Cores frias: calma e reflexão

Cor verde

Símbolo da natureza, o verde promove a serenidade, a saúde e o equilíbrio. Na decoração, cria atmosferas relaxantes, perfeitas para quartos e escritórios domésticos, onde se procura concentração e descanso.

  • Estado de espírito: calmo e equilibrado.
  • Personalidade: indivíduos calmos, equilibrados e conscientes do seu próprio bem-estar e do ambiente.
  • Estilo decorativo: minimalista ou rústico. O verde liga o interior à natureza, criando um retiro tranquilo e revitalizante.

Cor azul

A cor da tranquilidade e da confiança. Os tons mais claros são ideais para quartos e casas de banho, pois promovem o descanso e a descontração, enquanto os tons mais escuros conferem profundidade, elegância e seriedade aos escritórios e às salas de estar.

  • Estado de espírito: calmo e concentrado.
  • Personalidade: Pessoas ponderadas, leais e calmas que valorizam a estabilidade e a serenidade.
  • Estilo decorativo: litoral ou tradicional. O azul evoca a tranquilidade do mar e do céu, ideal para criar ambientes descontraídos, e também combina perfeitamente com o estilo clássico mais tradicional.

Cor púrpura

Associada à sabedoria, à espiritualidade e à nobreza. Os tons mais suaves de púrpura são excelentes para criar espaços de meditação ou de leitura, enquanto os tons mais escuros conferem luxo e profundidade aos espaços de reunião.

  • Ambiente: inspirador e luxuoso.
  • Personalidade: indivíduos introspetivos e criativos com uma propensão para o espiritual ou o luxo.
  • Estilo decorativo: glamoroso ou barroco. O roxo acrescenta profundidade e riqueza visual e é ideal para espaços elegantes e dramáticos.
decoração interiores

As cores neutras conferem luminosidade, ordem e limpeza / Pexels (Max Vakhtbovycn)

Cores neutras: equilíbrio e versatilidade

O branco 

É a cor (ou a “não-cor”) por excelência da pureza, da simplicidade, da paz e da clareza. O branco expande visualmente os espaços, proporcionando luminosidade e uma sensação de limpeza. É perfeito como base para qualquer estilo de decoração, permitindo que outras cores e texturas se destaquem.

  • Ambiente: tranquilo e limpo.
  • Personalidade: pessoas que procuram clareza, paz e um estilo de vida minimalista.
  • Estilo decorativo: nórdico ou minimalista. O branco maximiza a luz e o espaço, oferecendo uma tela limpa para qualquer estilo.

Cinzento

Esta cor oferece uma neutralidade elegante, sendo versátil para combinar com qualquer outra cor. Nas suas várias tonalidades, pode trazer sofisticação a espaços modernos ou criar atmosferas mais quentes quando se inclina para os tons terra.

  • Estado de espírito: estável e sofisticado.
  • Personalidade: indivíduos pragmáticos, elegantes e com gosto pela subtileza e sofisticação.
  • Estilo decorativo: industrial ou contemporâneo. O cinzento é uma cor neutra muito versátil que transmite elegância, sofisticação e modernidade. Há mesmo estudos que sugerem que uma casa em que predominam os tons de cinzento pode ser vendida até 20% mais cara do que uma branca, devido à sua relação visual com o luxo e a sofisticação, como publicou recentemente a AD Magazine.

Preto

Apesar de ser uma cor poderosa e dramática, quando usada com moderação, o preto acrescenta profundidade e define o espaço. É ideal para acentuar pormenores na decoração, combinado com cores mais claras para um contraste marcante.

  • Ambiente: elegante e profundo.
  • Personalidade: pessoas com força, sofisticação, personalidade forte, decididas e com gosto pelo drama e pelo contraste.
  • Estilo decorativo: luxo moderno ou minimalista. O preto cria um forte impacto visual e pode servir de pano de fundo para realçar outros elementos.
decorar casa

O preto está associado à sofisticação e pessoas com personalidade forte

Cores terrosas: ligação e naturalidade

Castanho

Evoca estabilidade, conforto e ligação à terra. Excelente para criar espaços acolhedores e quentes; ideal para salas de estar, bibliotecas e quartos, onde se procura um refúgio de tranquilidade e segurança.

  • Estado de espírito: Confiante e acolhedor.
  • Personalidade: Indivíduos que valorizam a estabilidade, o conforto e têm uma abordagem terrena.
  • Estilo decorativo: rústico ou tradicional. O castanho evoca o calor da terra, criando espaços acolhedores e seguros.

Cada cor tem o poder de transformar um espaço não só visualmente, mas também emocionalmente. Ao escolher as cores para a casa, tem em conta não só a estética, mas também o tipo de ambiente e de sensação que pretendes criar. Uma decoração consciente com recurso à psicologia das cores pode ser uma ferramenta poderosa para criar espaços que reflitam a sua personalidade e aumentem o seu bem-estar.

Retirado do Idealista – Adaptado por Dicas Imobiliárias

Como evitar a formação de gelo no frigorífico e congelador

Todos os truques para evitar que camadas espessas de gelo se formem no frigorífico e congelador.

Evitar a formação de gelo no congelador e frigorífico não é apenas uma questão de praticidade, mas também de eficiência energética e de manutenção do desempenho ideal de nossos eletrodomésticos. Na verdade, o gelo pode reduzir a capacidade de refrigeração, aumentar o consumo de energia e, com o tempo, danificar os mecanismos internos dos mesmos.

Portanto, é essencial tomar medidas preventivas para evitar o acumular de gelo. Neste guia, exploraremos alguns métodos eficazes e melhores práticas que cada pessoa pode adotar para minimizar a formação de gelo, garantindo assim uma operação mais eficiente e melhor conservação dos alimentos.

Como retirar gelo da parede do congelador?

O gelo na parede interna do congelador pode ser um problema comum, mas irritante, que requer uma solução eficaz para manter o aparelho funcionando de forma eficiente.

Para retirar o gelo, o primeiro passo é desligar o frigorífico ou colocá-la no modo “descongelar”, se disponível. Retira todos os alimentos e guarda-os em local fresco ou outro frigorífico. Em seguida, deixa o gelo derreter naturalmente.

Para acelerar o processo, podes colocar uma tigela de água quente dentro do compartimento do congelador ou usar um secador de cabelo, tendo cuidado para não danificar o interior com calor excessivo. Depois de o gelo derreter, seca bem o interior com um pano macio e limpo.

Ao mesmo tempo, quando removeres o gelo, é importante evitar certas práticas que podem danificar o aparelho ou ser perigosas. Em primeiro lugar, nunca usar objetos pontiagudos ou metálicos, como facas ou chaves de fenda, para remover gelo. Eles podem arranhar superfícies internas ou, pior, perfurar o circuito refrigerante, causando sérios danos ao eletrodoméstico.

Além disso, evita aplicar calor excessivo, como de um secador de cabelo ajustado para altas temperaturas, pois pode deformar os componentes plásticos internos ou danificar os circuitos elétricos. O uso de sal para acelerar o derretimento do gelo também não é recomendado, pois pode corroer partes metálicas e prejudicar o funcionamento do frigorífico. Paciência é fundamental: deixar o gelo derreter lentamente à temperatura ambiente, protegendo o solo das gotículas de água.

O que fazer se houver gelo na parede traseira do frigorífico

presença de gelo na parede traseira do frigorífico pode indicar um problema com o sistema de refrigeração ou circulação de ar. Em primeiro lugar, verifica se o frigorífico está longe de fontes de calor e se há espaço suficiente ao redor do aparelho para uma boa ventilação.

Verifica também se as vedações das portas estão intactas e limpas para evitar vazamentos de ar frio. Se o problema persistir, talvez seja necessário entrar em contacto com um técnico qualificado para verificar o sistema de degelo automático ou o ventilador, que pode estar com defeito e exigir reparo ou substituição.

Quando se forma gelo na parede interna

A formação de gelo na parede interna pode ser causada por uma série de fatores. Uma causa comum é o excesso de humidade dentro do frigorífico, que ocorre quando alimentos quentes são introduzidos sem serem devidamente arrefecidos ou quando a porta é deixada aberta com muita frequência.

Para corrigir esse problema, certifica-te que deixas os alimentos arrefecer antes de armazená-los no frigorífico e limitar as aberturas das portas. Também é útil ajustar corretamente a humidade nas gavetas de frutas e vegetais para minimizar a condensação.

come evitare che si formi ghiaccio nel frigorifero

canva.com

Se o frigorífico produz gelo, a temperatura deve ser reduzida?

Ao contrário do que podes pensar, baixar a temperatura nem sempre é a melhor solução para evitar a formação de gelo. Na verdade, uma temperatura muito baixa pode contribuir para o problema.

A temperatura ideal é entre 3°C e 4°C. Valores mais baixos podem aumentar a produção de gelo. Se notares gelo mesmo que a temperatura pareça certa, podes precisar de verificar se o termostato está com defeito ou se há algum problema com o isolamento ou juntas.

As principais causas de gelo no frigorífico

As principais causas da formação de gelo podem ser atribuídas a vários fatores, incluindo:

  • Vedações de porta danificadas ou ineficazes: se a porta do frigorífico não estiver devidamente vedada, permite que o ar húmido do exterior entre, condense e transforme em gelo;
  • Configuração incorreta da temperatura: uma temperatura interna muito baixa pode levar à formação de gelo;
  • Sobrecarregar o frigorífico: excesso de comida pode bloquear a circulação de ar frio, favorecendo a formação de gelo;
  • Mau funcionamento do sistema de degelo automático: termostatos ou temporizadores defeituosos podem impedir que o frigorífico descongele regularmente, causando um acumular excessivo de gelo;
  • Introdução frequente de alimentos quentes: introduzir alimentos quentes pode aumentar a humidade interna e promover a formação de gelo;
  • Deixar a porta aberta com frequência ou por muito tempo: isso aumenta a humidade dentro do congelador e contribui para a formação de gelo.

Como evitar gelo congelador

come evitare che si formi ghiaccio nel frigorifero

canva.com

Evitar gelo é importante para manter a eficiência energética e garantir o armazenamento ideal dos alimentos. Certifica-te que não sobrecarregas e descongelas o frigorífico periodicamente, pois isso pode dificultar a circulação de ar frio.

Também é aconselhável envolver os alimentos firmemente em recipientes herméticos ou usar película aderente para reduzir a humidade. Além disso, verifica e limpa periodicamente os dutos de ventilação para garantir a circulação adequada do ar. Por fim, descongela o frigorífico pelo menos uma vez por ano ou quando a camada de gelo tiver mais de 5 milímetros de espessura.

Retirado do Idealista – Adaptado por Dicas Imobiliárias

Truques para criar uma horta em casa (e ter sucesso)

Conselhos práticos sobre como obter tomates, alface (e outras culturas) na tua horta caseira ao fim de algum tempo.

Com todo o entusiasmo do mundo, arregaçaste as mangas e começaste a montar a tua própria horta em casa. No jardim, na varanda ou no parapeito da janela, cada um de acordo com as suas possibilidades. Compraste a terra, as sementes, tudo. E passados alguns meses, tudo continua na mesma. Não há tomates, não há alfaces, não há nada, só deserto e desilusão.

Isto soa-te a familiar? Há pessoas que são ótimas com plantas e tudo o que tem a ver com vegetação. Mas não entres em pânico: se pertences ao segundo grupo, vamos dar-te uma ajuda extra para que essa horta em casa, que queres começar com entusiasmo, acabe por te dar muita alegria. 

Se tiveres um jardim, é fácil, terás mais espaço para plantar. Para os que não têm tanta sorte, podes optar por mesas de cultivo, que estão muito na moda, jardineiras e até vasos. Mas se optares por estes últimos, certifica-se de que têm um determinado tamanho. O ideal é plantar num local onde o solo receba luz solar direta durante pelo menos seis horas por dia.

hortas verticais

Créditos: Pexels

Antes de plantares as sementes, deves preparar o solo adicionando matéria orgânica, que ajudará as raízes a fixarem-se melhor e também fornecerá nutrientes ao solo. Podes alimentar o solo com adubos que podes encontrar nos supermercados ou utilizar adubos naturais, como a minhoca, o guano, o estrume, a turfa…

De que ferramentas necessitas para a tua horta doméstica? Além do que dissemos acima (o recipiente, a terra, a matéria orgânica e as sementes), são necessárias luvas, um ancinho (se a área a plantar for grande), um regador, um pulverizador, uma tesoura… Para grandes áreas, um carrinho de mão e uma pá são essenciais.

Quanto às sementes, podes optar por mudas (podes encontrá-las em viveiros e também em supermercados, embora as primeiras sejam mais bem cuidadas e saudáveis do que as que encontras nos grandes supermercados). E depois há a melhor opção se és novo no mundo dos legumes: as sementes. Vendem-se sobretudo na primavera, em saquetas, e crescem rapidamente. Se se derem bem e se colheres a semente, o melhor a fazer para a segunda colheita é utilizares sementes tradicionais, mais adaptadas ao clima da região do que as das saquetas.

sementes

Créditos: Pexels

O que plantar? Não nos entusiasmemos e queiramos plantar algo tropical se na nossa região faz muito frio durante todo o ano. Sê sensato: escolhe as tuas culturas em função do clima da tua região e da estação do ano. Por exemplo, se houver muito sol, as melhores plantas são as solanáceas, como o tomate, a beringela, o pimento… Se o sol brilhar apenas algumas horas por dia, então culturas como a alface-de-cordeiro, os morangos, as alfaces… Atenção: se plantares em vaso, tem em conta a profundidade do vaso. Os vasos convencionais não têm mais de 20 centímetros de profundidade, pelo que não é boa ideia plantar neles culturas como cenouras, rabanetes ou batatas, porque as raízes destas plantas são o mais importante.

E não te esqueças de incluir plantas aromáticasna tua horta urbana: são muito gratas, fáceis de manter e um elemento essencial nos teus pratos.

A horta doméstica é uma óptima ideia para voltar a entrar em contacto com a natureza e, além disso, se houver crianças em casa, é uma atividade que podem fazer juntos, iniciando-a, mantendo-a e vendo como as plantas crescem. Só vantagens.

Retirado do Idealista – Adaptado por Dicas Imobiliárias

Qual a melhor tinta para usar num apartamento?

Antes de começares a pintar a casa deves ter em conta alguns conselhos. Dizemos-te quais.

Pintar paredes e tetos é uma das tarefas básicas de manutenção de qualquer casa. Com o passar do tempo, a sujidade acumula-se nos mesmos, bem como as marcas de fricção ou de pequenas pancadas que deterioram a superfície. Pode acontecer também que já não gostes da cor que escolheste para a tua casa. Em qualquer dos casos, antes de deitares mãos à obra, deves ter em conta algumas questões importantes para conseguir um acabamento impecável.

Tipos e características das tintas

remodelar casa

Créditos: Habitissimo

As tintas não são todas iguais e devem ser escolhidas não só pela sua cor, mas também por outras caraterísticas. As tintas plásticas, acrílicas e vinílicas são principalmente utilizadas em interiores. Têm a vantagem de cobrirem bem, serem de secagem rápida e laváveis. A têmpera tradicional continua a ser utilizada. De facto, é a tinta mais barata, mas os seus acabamentos são muito mais delicados.

pintura de parede

Créditos: Habitissimo

Estas questões são o ponto de partida para a escolha da tinta, mas, dependendo da superfície a pintar, devem ser tidos em conta outros aspectos:

  • Poder de cobertura: neste sentido, o ideal é optar por tintas de subcapa que possam cobrir a tinta antiga com apenas uma de mão, poupando assim material, esforço e tempo.
  • Aderência: nem todas as superfícies são iguais, nem todas as tintas aderem da mesma forma. Opte por aquelas que têm uma elevada aderência e, se for aplicada uma camada de primário primeiro, tanto melhor.
  • Acabamento: mate, acetinado ou brilhante. A escolha de um ou de outro dependerá de aspetos como a decoração, a luminosidade da divisão ou a sua utilização. As tintas mate ou acetinadas são as mais resistentes. As tintas brilhantes, embora sejam perfeitas para divisões escuras porque refletem a luz, realçam mais os defeitos da parede. A este respeito, é importante recorrer a pintores de paredes profissionais.
  • Resistência: a tinta plástica é lavável, mas existem tintas ainda mais resistentes e recomendadas para ambientes húmidos ou muito expostos.
  • Caraterísticas especiais: em certos casos, devem ser escolhidas tintas especiais, como as que têm propriedades anti-humidade ou anti-bolor.

Que tinta escolher para pintar uma casa

conselhos pintar casa

Créditos: Habitissimo

O primeiro e mais básico conselho é escolher sempre tintas de qualidade. São um pouco mais caras, mas os acabamentos serão sempre melhores e também mais resistentes. Depois disso, deves ter em conta algumas outras questões:

  • As tintas lisas são sempre mais baratas, mas com as tintas decorativas é possível criar ambientes mais estéticos e personalizados. Para além disso, a variedade de acabamentos é enorme e, geralmente, são tintas muito resistentes.
  • A cor é importante. Se o chão em geral ou uma divisão em particular não tiver muita luz, a melhor opção é optar por cores claras. Não tem necessariamente de ser branco, alternativas como os cinzentos claros ou os beges suaves são perfeitamente válidas. O mesmo se aplica às divisões pequenas.
  • A utilização da divisão deve ser tida em conta. As zonas como os corredores ou as escadas ficam mais sujas, pelo que é importante escolher uma tinta lavável ou, pelo menos, protegê-la com um verniz incolor. Este é também um bom conselho para os quartos das crianças.
  • Nas casas de banho e nas cozinhas, utilize sempre tintas adequadas a este tipo de divisão: devem ser hidrófugas para resistir à condensação, mas ao mesmo tempo respiráveis para evitar o aparecimento de manchas ou bolor.
  • Se o apartamento tiver um terraço ou estendal, escolha uma tinta para exteriores, que pode ser acrílica de polissiloxano, hidriopolite ou silicato.
tipos de pintura

Créditos: Habitissimo

Estas são dicas muito básicas para pintar um pavimento. Se forem de boa qualidade, não há tintas melhores do que outras. No entanto, tanto o tipo de divisão como o tipo de suporte podem determinar o que é melhor para as suas caraterísticas, o acabamento ou a cor. Em caso de dúvida, o melhor conselho é recorrer a pintores profissionais.

cores pintar casa

Créditos: Habitissimo

Retirado do Idealista – Adaptado por Dicas Imobiliárias